segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Coração de pai

Não me pergunte a razão, mas acordei à flor da pele. Por algum motivo desconhecido, essa sensibilidade foi canalizada para um amor pelo filho que ainda não tenho. Esquisito, não?

Decidi curtir o momento. Já que estou com a paternidade em alta, resolvi pensar no que diria ao meu guri em sua estréia no Maracanã, lugar que sempre foi tão presente na minha biografia.

Eu diria algo mais ou menos assim:

Filhão, hoje você vai ao Maraca ver o Flamengo jogar. Claro que você já conferiu o time pela TV, mas ao vivo é outra parada. Existe alguma coisa lá dentro que alucina, que encanta, sei lá. Cada um tem uma percepção diferente e você não será uma exceção.

Meu filho, presta atenção nos detalhes que fogem ao time no gramado. O futebol é como a vida, ou pedaços dela, em 90 minutos. Não foi o papai que inventou essa frase brilhante, mas finge que foi, tá? Então, durante o tempo do jogo, você vai passar por sofrimentos, alegrias, irritações, vitórias, decepções e amor. É realmente como a vida, garoto.

Ficou curioso sobre o lance do amor? Sim, rapaz, você também aprende a amar no estádio. Quando há a identificação com o time, você cria um afeto tão grande que causa loucuras. Assim como tudo que se ama, o Flamengo vai lhe trazer momentos de felicidade e frustração. Um dia você é Campeão do Mundo e no outro pode ser goleado por um time que usa uma cortina de cantina italiana como uniforme. Aprenda isso logo agora para não ser pego de surpresa depois.

Quero que você preste atenção nas pessoas. Observe os torcedores. Lá dentro, meu filho, todos são iguais. Na arquibancada você pode ficar ao lado do mais rico ou do mais humilde e talvez nem perceba. E na hora do gol, não se assuste se um desconhecido vibrar com você. Seremos todos irmãos por 90 minutos. Bacana, né?

Papai vai ao estádio há muitos anos. Sozinho ou com amigos, já passei por muita coisa naquele gigante de pedra e grama. Já fui com o vovô tricolor e com a vovó que torce para quem está ganhando, mas eles nunca me disseram o que estou lhe dizendo. Não é culpa deles. Talvez seja apenas um jogo para eles. Faltou o olhar de conto de fadas. Por isso que estou tão feliz em ir ver o Flamengo jogar com você ao meu lado. Com o coração em festa pelo Flamengo e por você. Isso se chama orgulho dobrado.

Ah, e se você resolver mudar de time, papai compreenderá, mas doará seu Playstation 4 ao Criança Esperança.



QUAL A MORAL DA HISTÓRIA,
HE-MAN?

He-Man retornou ao seu posto. Amiguinho Surfista, você anda muito estranho ultimamente. Uma hora quer comer a Angelina Jolie e na outra tem um surto paterno. Eu, hein! Bem, mas como diz a Ivete, não me conte seus problemas. Só lhe digo uma coisa: espero que esse seu rompante de pai não dure muito. Vai que você decide levar esse desejo às últimas consequências. Mas, em todo caso, foi um momento bonito da sua personalidade cafajeste. Ser pai deve ser uma honra inigualável. Papai Rei Randor me enche de orgulho. Amiguinho, evite pregar peças que machuquem outras pessoas. Seja sensato.

29 comentários:

Cíntia disse...

Opa, vvou dar um pitaco...
eu gosto de dizer que o estádio é o lugar mais democrático do mundo. Sempre que vou à Arena sinto isso. A única coisa não-legal é levar chuva de cerveja quando rola gol
:)
bjus!

Maria (damaria) disse...

Olha... eu acho que tá na hora de fazer um filho na Angelina Jolie. Vc une o útil ao agradável... ela se amarra em criança!

Henry Miller disse...

Olá, apenas para avisar, blog atualizado (com muito sufoco rs).

Abraço.

Vulgo Dudu disse...

Eu tô muito perto disso e fico, realmente, imaginando todas essas conversas.

Abs!

Bridget Jones disse...

Foi o post mais meigo e singelo que li nos últimos... nem sei te dizer.

Nem posso dizer que é um post doido, pois não chega a tanto. É um post elocubrativo, eu diria... Devaneia, devaneia...Bonito isso.

Nem vou fazer gracinhas desta vez pois curti muito essa conversa paternal.

Surfista disse...

CÍNTIA, ir ao estádio é quase um ritual. Aqui não rola chuva de cerveja durante os gols.
MARIA, sua sugestão é um caso a se pensar. O problema é o Brad.
HENRY, beleza!
VULGO, lembrei de você enquanto escrevia.
BRIDGET, tenho meus momentos de doçura. Obrigado!

Maria Amélia disse...

Surfista, creio que o Brad não é problema. Pense bem: você com uma mulher daquela, que adora arrumar um filho, teria feito uma só???? ... De onde se conclui que...

damaria disse...

Maria Amélia sou eu. Foi mal por badernar tua página!

ISO9002 disse...

Meu comentário hoje não é para vc, Surfista, é para o He-Man.

He-Man, cá pra nós, acho que você se engana quando diz que foi um momento bonito da personalidade cafejeste do Surfista. Na minha modesta opinião, acredito de verdade que o Surfista faz de conta que tem uma personalidade cafajeste... só para disfarçar sua melancolia por ainda não ter esbarrado na mãe dos filhos dele. Tenho pra mim que ele é um romântico incorrigível... contrariando a lógica, um cordeiro em pele de lobo. Hehehhee.
Bjs.

Bridget Jones disse...

To pensando no comentário de cima. Isso acontece muito com muitos meninos. Cordeiros em pele de lobos...Nossa!

Passei pra convida-lo a analisar mais um doido lá no "Sou para-raio de doido!"

BB disse...

Ô Doug, me leva no maraca... =]
Ps. "Cordeiro em pele de lobo..."??? Hum...gosto disso...ou seria "zebrinha manca"??? Huahuahauhaaa...bjs.

Surfista disse...

MARIA, seu raciocínio faz sentido. Quem sabe, né?
ISO9002, He-Man é um bronco. Você é uma observadora afiada.
BRIDGET, cada um se preserva como pode. Mecanismos de defesa surgem das mais variadas formas. Vou lá conferir o caso novo.
BB, eu te levo ao Maraca e às estrelas!

Jongleuse disse...

Aqui em casa somos todos flamenguintas fanáticos. Minha primeira incursão ao maracanã eu tinha 1 ano e meio.
minha mão me colocou uma jardineira jeans com a blusa do flamengo por dentro. No cabelo, maria chiquinha, um lacinho preto e o outro velhemho. As meias era vermelhas e o sapatinho preto.
A foto deste dia é a coisa mais fofa do mundo.
O jogo foi escolhido a dedo. Flamengo e Sport. Fora ser um jogo morno, de meio de campeonato e com uma torcida só, o argumento do meu pai foi: sendo os dois times rubro-negros, ela ficará feliz não importando de quem seja o gol.
Pai é protetor até nessas horas...
A máxima aqui em casa sempre foi: flamengo é a religião e a nossa missa começa na Tijuca por volta das 16h.

9desculpe o comentário em um post tão antigo, mas quando li seu texto não resisti em contar minha história)

Jongleuse disse...

Pronto, este virou meu post preferido e vou responder ao nosso chat via coment de blog por aqui!

Atuo indiretamente com comunicação... trabalho com consultoria de gestão da mudança... Só que boa parte dos problemas das empresas, me desculpe a exagerada simplificação, é a comunicação.

quanto ao seu blog, fiquei hoje lendo os posts... na ordem cronológica para poder ir traçando seu "raio-x"... hehehe

Tenho até uma listinha de coisas que achei dignas de nota :-P

Jongleuse disse...

vc tem o link do texto no site? ou então o texto mesmo? gostaria de ler...

Jongleuse disse...

autógrafo do Wando? então vamos a uma revelaç/ào que só a tela de um computador ou algumas rodadas e chopp seriam capazes de revelar: eu fui concebida depois de um show do Wando! Imagine só as consequencias que isso nao pode ter deixado nas minhas primeiras células... justo nas tais células tronco...

Jongleuse disse...

mas esse é o raio-x das coisas que mesmo não sentindo orhulho, você quer mostrar...

Jongleuse disse...

Que identitade?
Vc usa nome falso no blog?
- PAUSA DRAMÁTICA -
Copia e cola num word sem assinar e me manda :)

Jongleuse disse...

vai ficar fazendo charminho com o texto da Calcanhoto, é?
Quer que eu insista mais um pouquinho? Hoje estou de bom humor, posso te dar essa moral... ;-P

Jongleuse disse...

Jongleuse não é meu nome... nem mesmo meu apelido... é só uma assinatura para o blog mesmo.
Na verdade jongleuse significa malabarista em francês... meu personagem preferido do circo, na minha atual língua preferida

Jongleuse disse...

Se a tal da inveja branca realmente existe, um dos lugares em que ela reside é neste autógrafo.

Jongleuse disse...

Oba! Obrigada pelo texto!
Achei que ia precisar insistir um monte... até que vc foi facinho =P

Jongleuse disse...

Mas como os pais delas saberiam os presentes? Digo, o papai noel?

Jongleuse disse...

Blogueira talentosa... poxa, vindo do autor de um dos meus blogs preferidos ultimamente, me é um elogío mais que válido.
Sabe, adoro esse exercício de ler diários alheios... por mais que as pessoas se esforcem em fazer com que seus blogs não sejam meros "diarinhos" você vai juntando um pedacinho aqui com outro acolá, se identificando com uma passagem, antecipando uma história... E quando você ve, criou uma daquelas "cumplicidades"que só são possíveis no mundo virtual, onde a reciprocidade é dispensável.

Jongleuse disse...

Adoro sua criatividade para os nomes dos personagens. Principalmente os masculinos... É licença poética ou você só conhece nomes estranhos mesmo?

poetriz disse...

Sabe que normalmente homem cafajeste e flamenguista, tem filha mulher e genro vascaíno... =P

Bjs!

Jongleuse disse...

Confesso que foi um dos meus chats mais divertidos, também! :)

Jongleuse disse...

Confesso conhecer pouco do tsuboi, mas me o primeiro jogo dele nas ultimas olimpiadas me fez vibrar com ping pong quase que como o rubro-negro faz

Jongleuse disse...

Ah, vai... O MSN não é uma caixinha simpática como esta, mas também tem seu charme :)