quarta-feira, 16 de julho de 2008

Reações inesperadas

Um dos aspectos que torna a mulher um ser complexo é sua total imprevisibilidade. Elas são a esfinge, a localização do El Dorado, as ruínas de Atlântida, o sopro de Deus... sei lá. Há tanto mistérios ao redor da essência feminina, que só há uma saída: apaixonar-se completamente e dedicar uma vida (ou mais de uma, se possível) à divertida missão de contemplação. Então, contemplando aqui, ali e acolá, de vez em quando, a aura enigmática da mulher se manifesta. E, com um pouco de sorte, pode até render pauta para blogs desavergonhados como esse. Saca só essa historinha...

Era para ser um feriado perdido no calendário, mas surgiu a chance de viagem a um sítio isolado no interior do Rio. Recebi um convite e topei. Os dias no cândido recanto na Floresta Atlântica não renderam grandes emoções, mas o retorno foram outros quinhentos. Quis o destino que sobrasse para meus ombros cansados o terrível fardo de dar carona a três mocinhas que moravam nas minhas redondezas.

Enquanto dirigia, fiquei analisando o cenário e ponderando se valia a pena tentar a sorte com uma das três.

Ó, que dilema. Até parece que eu não iria fazer isso...

Papo vem, papo vai... tomei uma das decisões mais óbvias de minha biografia: tentar a sorte com uma delas, a menina de cabelos castanhos que estudava teatro. Feliz da vida, ignorei um detalhe importante no projeto: a menina morava antes das outras duas.

Logística, rapaz, logística...

Nesse momento, apelei. Usei uma desculpa tão esfarrapada, mas tão esfarrapada, que meu inconsciente fez o favor de apagar da memória. Foi algo do tipo:

- Olha, vou deixar elas duas primeiro, aprendo o caminho e depois volto para te deixar. É para não me perder na volta para casa.

Esse foi uma das frases mais absurdas e desprovidas de nexo que eu já disse. Como eu poderia me perder no caminho que faço todo santo dia???

Elas gargalharam. Eu gargalhei. E ficou por isso mesmo.

Eu mesmo me racho a cara de vergonha às vezes.

Deixei as duas empatas em casa e voltei para fazer o approach na gatinha. Estávamos diante do prédio dela, carro parado e música light no ambiente.Tudo no esquema, e, de repente... baixou o Balloubet du Rouet em minha pessoa. Saí do carro, tirei as malas dela, dei dois beijinhos e fui embora sem compreender minha atitude.

Corta para dois meses depois...

Encontrei com a tal estudante de teatro em uma festa qualquer. Já soltinha por uns drinks a mais, ela me chamou no canto.

- Lembra o dia em que voltamos do sítio?

- Lembro.

- Lembra do momento em que você foi me deixar em casa por último?

- Sim, claro.

- Era óbvio que você iria tentar alguma coisa comigo.

- Pois é...

- Enquanto você dirigia, eu pensei em duzentos foras educados para lhe passar.

- É mesmo?

- Mas, você não fez absolutamente nada. Você me passou uma cantada explícita, deixou minhas amigas em casa e... não fez absolutamente nada depois.

Fiquei mudo.

- Nunca fiquei tão indignada, tão revoltada, com um homem como naquela noite. Você tinha a obrigação de chegar em mim.

Eita!

É ou não é impressionante?


QUAL A MORAL DA HISTÓRIA,
HE-MAN?

Amiguinho, ainda bem que o seu inconsciente deletou a sua brilhante argumentação sobre a melhor forma de deixar três garotas em casa seguindo uma lógica assustadoramente estúpida. Sorte sua, mas o contexto deve ter sido aquele mesmo. Bom, tirando essa sua lição de como manter seus objetivos discretos, acho que o imprevisível foi você. Seguindo uma normalidade, você deveria passar uma conversa mole na guria, e ela deveria lhe dar um toco de cinema. Essa era a lógica. Como você abortou a missão, houve uma ruptura na ordem do universo e os reflexos se manifestaram nos dois. Você voltou para casa de mãos abanando e ela teve que guardar o discurso de "passa amanhã" para outro mané. E, outra coisa, não se preocupe em entender a mulherada. Nem elas se entendem. Amiguinho, em uma mesa, sempre puxe a cadeira para a dama sentar. Até a próxima!

28 comentários:

damaria disse...

Durante uma fase da vida da mulher um fora bem dado é tão emocionate quando uma pegada bem dada. Faz parte de uma mistura de auto-afirmação, auto-controle (tem hífen?) e sentimento de domínio sobre os homens - como se ter domínio sobre os homens fosse escorraçá-los - e como se ter domínio sobre os homens fosse realmente muito importante. Depois passa, ainda bem. Isso me fez lembrar um professor da faculdade que dizia uma coisa tremendamente cretina, mas que tinha a sua graça: "a juventude é ridícula, ainda bem que dura pouco".

Por que eu disse isso mesmo? Esquece, é tudo bobagem...

contorcionista disse...

Surfista, assim como a garota não entendeu por quê raios não passou uma cantada nela, nem queira entender por quê ela iria dar um fora em você se o tivesse feito. Enfim, 0 X 0 no placar. O jeito é ir pros pênaltis.

www.balzacsemprozac.blogspot.com

Lisella disse...

A-DO-Re-I.
Inteligente e bem-humorado na medida.
Li algumas das suas aventuras e adorei as análises do irmão da She-Ha.
Mais uma leitora, surfista! com certeza.

Dudu disse...

Quando vc mandou a desculpa esfarrapada do caminho e ficou claro que a atriz era o alvo, vc deu uma vantagem a ela perante as outras, que na ótica dela fecharia com chave de ouro se ela te desse um toco (por, talvez, nem cogitar ficar com vc naquele instante). Mas o fato de vc não ensaiar o fatality a deixou desnorteada, e tirou dela a tal vantagem sobre as outras, e o ônus da imprevisibilidade ficou com ela, e nao com vc (caso vc chegasse e tomasse o toco).

Aí pego carona no que disse Maria, e acho que, NESSE momento, vc tirou dela o gostinho de se sentir superior. Coisas que nao fazem o menor sentido para mentes objetivas e cartesianas como a da maioria dos homens, claro. Mas, esse elemento surpresa é um dos encantos da mulherada, fazer o que...

contorcionista disse...

Surfista, já comentei lá em cima, agora o assunto é outro. Tá a fim de brincar da lista das 8 coisas? Conhece? Se não, dá um chego no meu blog!

www.balzacsemprozac.blogspot.com

Robs disse...

Surfista...meu amigo...

Nossa, já passei por uma situação parecida...qualquer hora eu conto, aliás, se for contar as minhas histórias também! Tem horas que nem acreditamos no que passamos né meu amigo?
Mas tudo faz parte!!

Agora...tem mulher que adora dar fora...elas se divertem... Na realidade elas sempre estão no comando né não? Achamos que estamos detonando na balada, trocamos olhares com elas e escolhemos, mal sabemos que já havíamos sido escolhidos primeiro, se não...sem chance amigo...se ela~não quiser, sem chance...só gastando todo "vocabulário- galanteador-masculino-xavequeiro" e olhe lá! Tem que ser muito bom para levar só no papo! rs

ps: Fechou com chave de ouro o comentário e a moral da história do nosso amigo de Etérnia!

Abraços Galácticos meu amigo...

Cíntia disse...

O comentário do dudu ali em cima disse tudo. Mulheres adoram se sentir superiores perante suas semelhantes.
Mulheres são, na verdade, cruéis. E você deu uma oportunidade única para a mocinha pisotear não só você, como suas amigas.

Mas... não duvido que se você chegasse nela, levasse o tal toco, ia acabar rolando alguma coisa, uma semana depois, diria.

Ei, menino, mandei email. Muito ocupado né?
Mas preciso de uma ajuda, fora o email. Formatura de Publicidade da PUCPR. O que dar de presente para minha amiga formanda?

Beijo!
Saudades de seus escritos..

iso9002 disse...

Doug,

Tenho a impressão -quase certeza- de que no dia em que ela disse isso, se você tivesse tentado chutar pro gol, teria feito um golaço. Por mais estranho que possa parecer. Acho que teria sido muito, muito possível. Hehehehehehe.
É engraçado e louco... mas existe um fenômeno da natureza que é o seguinte: se a gente acha que o cara é afim da gente e na hora H ele contraria essa teoria... parece que num passe de mágica, o feitiço pode cair contra a feiticeira. Vai entender!? :-P

Bjks.

Anônimo disse...

Caro Surfista
Quando li a desculpa que você brilhantemente inventou para deixar a futura atriz por último, achei que você foi acometido pela mesma lógica infalível que te fez topar o tal programa serrano de pronto, no outro blog.
Ou seja, subiu testerona à cabeça, lá se vai a razão?? rrsrss
Outra questão: na tal festa, ainda que tenha sido dois meses depois, a mocinha não te despertou nenhum interesse? Não te deu vontade de falar "se não aquele dia, que tal agora?"
Lembre-se: o álcool é grande amigo dos galanteadores... E ajuda as mocinhas tímidas também!
Bjs
Lyla

Dzinha disse...

Com essas histórias, você pode entrar pra categoria das pessoas infinitas!
E as mulheres........ liga não. O Rodolfo já cantava que elas são "mulher de fases".

rancorizando disse...

hahahha
vc é sensacional!
Momento confissão: eu já estive no papel da mina, fiquei me preparando pra dar o fora que não aconteceu. Fiquei indignada!
Mulheres são chatas e os homens são bobos. Lei do universo.
beijones

Muleka disse...

Mais imprevisível que nós Mulheres foi vc!! Ela deve ter pensado q pensou os foras à toa.. rsrs*
Mandou super bem!!! Ahh, e que graça teríamos se fossemos previsível? PErderia a graça mais rápido q de costume.
Bjs *)

Pedro Favaro disse...

Só por isso que eu adoro elas...
Outra coisa. Eu tenho o "faro para toco". Um sentido que me diz quando da aproximação do fora e vou te contar uma coisa...eu ignoro ele!!!!
Acho que todos nos ignoramos.
Quisera eu ser fodão a potno de, ao sentir o toco, assim como vc, deixar a mulher a ver navios sem a chance de me zuar!
:-)

Vulgo Dudu disse...

Me diz aí se a música que estava tocando no carro não era oriunda da belíssima coletânea "Doug Lascivo"? Internacional ou nacional?

Abs!

rafa disse...

concordo com a maioria dos comentários acima!
apesar de não gostar de ir contra as mulheres devo admitir q somos extremamente competitivas e cruéis!
temos no fundo um certo prazer de nos mostrarmos superiores p/ as amigas e se um cara tiver de tomar um fora p/ aumentar nossa moral q seja né?
eu sei..é terrível e meio sem nexo! mas desde quando existe lógica quando se trata de mulheres? hahahaha
mas com sinceridade? os homens tb não fogem dessas regrinhas não! às vezes conseguem ser 3 vezes piores! e eu já tomei um fora parecido com esse..na verdade, lembro q fiquei louca de raiva..acho q o problema não foi nem o fora em si..mas o fato de não saber pq ele reagiu daquela forma se demonstrava interesse..não tem coisa pior p/ uma mulher quando o homem é imprevisível!! esses são os mais perigosos!! hehe

bjo

Surfista disse...

Salve, salve! Demorei um pouco para responder os comentários porque ando trabalhando enlouquecidamente, tirei uns dias para viajar e o Projeto Balboa encontra-se em sua reta final. Senti saudades desse espaço. Acho que estou ficando dependente digital de escrever e ler os comentários. Desculpem a ausência, mas, vamos ao que interessa:

MARIA, nada do que você diz é bobagem. Realmente, a mulherada sente um prazer sádico em exercer a sua notória superioridade sobre nós, pobres meninos indefesos.

CONTORCIONISTA, foram reações inesperadas de lado a lado. Vai entender, né? Aliás, aceitei o seu convite e vou entrar na brincadeira.

LISELLA, estou honrado com seus elogios. Volte sempre!

DUDU, pode até ser, mas tirei o doce dela completamente sem querer. E concordo completamente quando você cita o charme da imprevisibilidade.

ROBS, grande jedi! Puxando pela lembrança aqui ou ali, todos podemos ter uma historinha do gênero. Abração!

CINTIA, Dudu sabe das coisas. Recebi seu e-mal, mas estou em falta contigo. Desculpe!

ISO9002, acho que não, sabia? Eu acredito piamente que ela só estava esperando a deixa para me passar um fora antológico.

LYLA, viu como estou menos impulsivo? As experiências ensinam as pessoas algumas lições preciosas. Sobre a festa, bom... digamos que ela não quis relembrar o ocorrido à toa.

RANCOROSA, obrigado! Ah, veja como as revelações surgem inadvertidamente. Agora percebo o quanto é frustrante tirar a sensação de superioridade das moçoilas.

DZINHA, Rodolfo era um poeta da saliência adolescente!

MULEKA, ainda bem que vocês são imprevisíveis.

PEDRO, juro que não senti o cheiro de toco. Eu simplesmente refuguei tal e qual o Balloubet du Rouet em plena Olimpíada. Foi sorte mesmo, eu acho.

VULGO, provalmente um deles, meu caro.

RAFA, pessoas inesperadas (no bom sentido) são charmosas e interessantes.

iso disse...

Tá, Doug. Mas que o fenômeno da natureza que eu citei existe, existe. Vá por mim, não o subestime. Hehe. ;-)

drika disse...

posso rir (muito)?
bom, ela ficou desconcertada com certeza!
adoro essas imprevisibilidades. (acho q acabo de inventar uma palavra)
beijão!!!

drika disse...

*desconsertada.

Alfa disse...

"E, outra coisa, não se preocupe em entender a mulherada. Nem elas se entendem." - sábio He Man
Quanto ao seu texto, digo uma coisa: isso deixa qq mulher bolada. Vc quebrou o clímax e a previsibilidade.
Pergunta se o He Man não quer tomar um porre comigo para me ajudar a pensar no que fazer da vida. (Aos navegantes: não sou She Ra, então, relaxem aí, pq só quero tomar um porre)
bjs da Alfa em seu momento Bridget Jones

Tink disse...

Bem, as mulheres são mesmo previsíveis. Mas nem nesse ponto os homens adjectivam-nos correctamente, pois consideram-nos imprevisíveis, não entendendo eles que somos previsivelmente imprevisíveis, portanto previsiveis. Em suma, mulher é complicada mesmo e... adivinhem só... NÃO TEM JEITO! Mas não entrem em angústia metafísica...Como diz a música: "complicada e perfeitinha".

deminina disse...

EU ADORO SER "ESFINGE"...REALMENTE ADORO.
KISSES
DI

Jackie, Jaque, Jaquinha disse...

É.... amiguinho, existem mais mistérios entre um seio e outro que suspeita a sutiã filosofia!

Ptisa Molodói disse...

Realmente as pessoas sempre têm reações inesperadas... hahaha
E ai, sumiu???
Bjs

Sofia Fresca disse...

Ráh a desculpa foi ótema!
Bom, depende néh!
Ela poderia ter pensado que idiota! Claro que não vou dar chance pra ele. Ou ainda gostado do seu bom húmor...
Mas o que resta a analisar é o por quê de você não ter tentado nada a mais com a gatixinha! rs
Estranho mesmooo é entender os homens viu!!!!

Mas te falo uma coisa mesmo eu sendo mulher... Mulher é uma coisa pra se manter no bico da botina!! hahahahaha

Abraço Sofia Fresca

www.sofiafresca.blogspot.com

Surfista disse...

ISO, jamais subestimarei os fenômenos da natureza, ainda mais os da feminina.

DRIKA, digamos que ela perdeu a compostura.

ALFA, tá querendo me enganar? Desde quando você bebe? He-Man topa.

TINK, desisti de compreender faz tempo. Desde então, me resumo a observar e curtir a trip.

MININA, todas as mulheres são esfinges. Mas aquelas que se dão conta dessa condição tornam-se mais interessantes.

JACKIE, dependendo do "turbinamento", a sutiã filosofia pode render muitos pensamentos.

PTISA, sumi não. Estou garimpando tempo para voltar a escrever.

SOFIA, seja bem-vinda! Eu não sei o que rolou comigo. Simplesmente, desisti na hora H. Obrigado pelo conselho!

Surfista disse...

E como já disse o Arnoldão...

"I'LL BE BACK"

Meu passado me condena disse...

Nada pior do que uma mulher se achar e um cara quebrar a ilusão... mas acho que depois dessa, na festa, um papinho fácil e vc tinha comido.