quinta-feira, 12 de março de 2009

A menina de vestido

Muitas vezes me surpreendo com o óbvio que ninguém percebe - inclusive eu. Não tem absolutamente nada a ver com sinais. É uma questão de (inconscientemente) ignorar o que está diante do nariz. Mais exatamente, o que está a poucos metros.

Marieta trabalha a exatos cinco passos da minha mesa. Ela é bonita, simpática, divertida e gostosinha. Mas, falta alguma coisa. Falta um tempero. É como se você estivesse faminto diante de um suculento filé mignon e na primeira mordida percebesse que o banquete tem gosto de tofu.

Se você for vegetariano, faça o mesmo exercício imaginando uma folha de alface ou uma cenoura. Cada um com o seu referencial.

Com o passar do tempo e da rotina profissional, Marieta virou paisagem.

Uma paisagem gostosa, admito. Mas, nada além disso.

Certo dia, entrei na sala como faço todas as manhãs e me deparei com uma figura próxima à minha mesa. Ela estava de costas, era loira e usava um vestido longo, porém rente ao corpo. O tecido florido fazia um contraste perfeito com os cabelos loiros pousados sobre os ombros. E a silhueta? Meu amigo, que silhueta! A roupa realçava as curvas da garota e destacava o quadril, o tórax e revelava a pele na medida certa do charmoso. Nada vulgar.

Oba, carne nova!

Aquele colosso de mulher percebeu a minha aproximação por trás – no bom sentido, é claro – e virou-se.

- Bom dia, Douglas.

Glup!

- Marieta... errrr... bom dia! Aliás, ótimo dia.

A paisagem minha de cada dia, aquela que fica a cinco passos, se tornou um fenômeno da natureza. Algo como um tsunami de sensualidade feminina. E tudo graças a um vestido florido e com o caimento ideal.

Particularmente, eu adoro mulheres de vestidos, mas esse não é o X da questão. A parada é como uma garota bonita, porém comum, multiplicou seu passe por mil sem fazer uma transformação total.

Sabe aquele programa Extreme Makeover, do People & Arts? Pois esse é o espírito da coisa. É como se Marieta antes fosse uma casinha simples e, subitamente, havia se tornado uma mansão de frente para o mar. E olha que ela nem precisou ser demolida. Bastou uma pintura nova.

Pois, olhando (e disfarçando a baba que escorria pelo canto da boca) a Marieta naquela manhã, fiquei matutando: quantas mulheres são estupidamente bonitas, mas não conseguiram libertar essa formosura toda? Quantas garotas ainda não descobriram o seu vestido estampado e libertador? Esse pensamento é altamente profundo.

E quantos caras estiveram assim como eu: cegos? O cidadão se queixa a Deus e ao mundo que não conhece nenhuma bela tchutchuca, mas esquece de olhar ao lado. O Zé Ruela está encostado na mina de ouro, mas está precisando de um estalo, de uma sacudida.

Em "Don Juan DeMarco", um dos meus filmes dos anos 90 favoritos, o quixotesco protagonista (Johnny Depp) comenta com o seu psiquiatra fascinado (Marlon Brando) algo do gênero, algo sobre ver além, descobrir e ser descoberto. Voei para o meu VHS, brinde da Revista Caras, e fui catar o que ele disse:

- Ao ver para além do que é visível a olho nu, há aqueles, naturalmente, que não partilham a minha percepção, é verdade. Quando eu digo que todas as mulheres são deslumbrantes belezas, eles negam. O nariz de uma é muito grande, os quadris de outra são largos demais, talvez o seios de uma terceira sejam muito pequenos. Mas vejo essas mulheres como elas realmente são: gloriosas, radiantes, espetaculares e perfeitas, porque, não estou limitado pela minha visão. (...) Assim, para responder à sua pergunta, eu vejo tão claramente como o dia que este grande edifício em que nos encontramos é a sua casa. E quanto a você, Don Octavio DeFlores, você é um grande amante como eu, mesmo que você tenha perdido o seu caminho e o seu sotaque.

Boa, Juan!

QUAL A MORAL DA HISTÓRIA,
HE-MAN?
Amiguinho, sabe o que detona a percepção do belo? Você matou a charada logo nos primeiros parágrafos do seu blábláblá. É a rotina, meu caro. Poucas coisas devastam mais o instinto predador de um homem e o encanto natural de uma mulher que o diabo da rotina. Por essas e outras, que o casca-grossa He-Man não cede aos padrões diários. Cada dia, eu vivo uma aventura diferente. Claro que você, amiguinho, não pode viver de peripécias, mas reserve um instante do seu dia para observar. Simplesmente, para olhar o que está ao seu redor como se fosse a primeira vez. Tenho quase certeza que você se surpreenderá tanto quanto o Surfista Platinado. Amiguinho, seja sempre cordial ao telefone. Uma entonação de voz cortês pode ajudar muito. Até a próxima!!!
.
.

21 comentários:

Amanda Hora disse...

Vcs, homens, são mesmo muito desatentos... rsrs
"quantas mulheres são estupidamente bonitas, mas não conseguiram libertar essa formosura toda? Quantas garotas ainda não descobriram o seu vestido estampado e libertador?" É, pausa para reflexão...
Bj

Barbara Góes disse...

Don Juan de Marco é o meu filme favorito dos anos 90..

(olhinhos brilhando) Johnny Depp esteve brilhantemente perfeito!

bjos!

Danfern disse...

Perfeito !!!

:-)

Assim como é preciso que a gente saiba SE fazer notar, tb é preciso que saibamos ver além do superficial...que às vezes tem algo muito bom bem embaixo do nosso nariz !!!

E mocinhas, isso vale pra gente tb!

Às vezes tem um carinha por quem vc não dá nada, só um amigo, só um bonzinho...q pode te surpreender e te fazer muito bem em todos os sentidos....

Acho que passa muito por querer buscar o melhor do outro...tem q ter olhar atento e generoso pra isso...

Acho q não me expliquei bem, depois tento de novo! rs (bêbada de sono)

Veru disse...

Muito legal o texto, e muito feliz de ter lembrado do meu filme predileto! ^___^
Sera q isso tb nao tem a ver c/ o q a própria pessoa tb pensa de si mesma? As vezes essas jóias brutas q precisam ser lapidadas se escondem atras de tanta terra pq assim q elas se sentem, tipo, eh como um auto-boicote. Acho q quem tem confiança e consegue passar isso, as vezes nem eh belo mas transmite esse ar vitorioso q cativa os outros! Já os belos q se acham o coco do cavalo do bandido acabam passando desapercebidos gracas a nuvem negra q paira sobre suas cabecinhas e impede a visão das pessoas. Vai saber se a Marieta não teve alguem q naquele dia (ou na véspera!) fez ela se ver melhor tb? ;0)

Vi disse...

Sim, temos esse péssimo hábito de ficar na superficie, de olhar quase tudo "en passant", e assim perdemos espetaculos grandiosos do show...

Vou além, acho que essa caracteristica não está ligada só a este aspecto, mas a todas as coisas que nos cercam... O dia a dia, tudo nessa, no meu caso, pauliceia desvairada concorre para que não vejamos além, para que nos limitemos às paredes da caixinha...

Mas ainda q requeira um esforço de hercules, é necessário transcender e quando conseguimos a recompensa vale o esforço!!! =))

Ps: Sim, acho que as mulheres, ficam mais mulheres de vestido... Curiosamente eu estou usando um hoje =P Bom final de semana

Ps 2: isso é um comentário ou um post? rs

Surfista disse...

Jogo rápido!

VI, vestidos concedem aquela feminilidade inebriante às mulheres. Aposto que você está um luxo! Aproveita que hoje é sexta-feira, moça!

Anônimo disse...

Concordo.

Um vestido, assim como o decote, se bem usados e sem exageros, transformam uma mulher numa fêmea.

Abs. e aderi a sua comunidade no Orkut.

Marcos Borges

Aninha disse...

Surfista:
O mesmo vale para o contrário! Quantas vezes, um detalhe, um ato, uma frase, não transforma aquela pessoa espetacular em um sapo!!
Beijos!!
Dei tantos foras hoje, que vou ficar em casa!!

Anônimo disse...

Oi Surfista
Essa aura de encantamento da mulher não depende da produção que ela faz.
Quem sabe se antes você não estava preparado (disposto ou algo semelhante) para prestar atenção nessa garota?
Aliás, dizem que grande parte dos relacionamentos tem origem no local de trabalho...
Bj
Lyla

Isabella disse...

se a rotina acaba com o encanto, então deve ser por isso que o meu namorado me deixou por outra. pq no início eu era exatamente aquela loira espetacular de vestido esvoaçante....

Contorcionista disse...

Pois é a rotina é uma viseira, mas quero saber o seguinte: - Pegou ou não a mina?

LUCENA FILHO disse...

Muito bom teu blog, cara...já está na minha lista dos favoritos

abração

LUCENA FILHO

Camille disse...

Pois é...Impressionante como não nos damos conta daquilo que vemos todo dia!
Muitas vezes não valorizamos a rotina, ou melhor, não dispensamos a atenção necessária a ela...Acabamos fazendo tudo no automático!rss...
Eita vida maluca essa minha! Ou será nossa?!

Mulherzinha Sim! disse...

Essa situação é mais que corriqueira porque, como você disse, a rotina é uma grande vilã.

No meu trabalho há um cara que já me cantou várias vezes. Mas eu nunca o tinha reparado bem. Até que uma amiga nova na redação me alertou para as qualidades do moço. Hoje, após uma boa observação, até ficaria com ele (estou analisando se não vai atrapalhar o profissional).

Beijos

Dudu disse...

Tb sou fã das mulheres de vestido, embora umas saibam ser provocantes com qualquer tipo de roupa (imagina sem....)

O problema dessas mulheres aparentemente 'sem sal' (termo antigo muito usado pelas minhas irmãs que acabei incorporando ao meu vocabulário) é, como não poderia deixar de ser, autoestima. Quando a mulher se curte e se conhece de verdade, ela vira uma estrela de máxima grandeza, ganha brilho próprio capaz de chamar a atenção de qualquer macho que honra as calças que veste.

Ps: e claro, também me amarro em Don Juan DeMarco, e ainda escuto a trilha sonora até hoje

Vi disse...

Cadê os seus textos? HUMPF =D

Surfista disse...

VI, essa semana foi dureza! Não sobrou tempo nem para responder aos gentis leitores. Mantendo as condições normais de temperatura e pressão (as famigeradas CNTPs), publico um texto novo neste final de semana. Hoje não dá. Vou ver o Radiohead.

Beijos

Jéssica Ethne disse...

Olá Surfista... primeira vez que vejo teu blog, achei pq tava vendo o de um amigo q costumo visitar todos os dias e vc tava na lista de favoritos dele (Lucena Filho), como tava procurando algo diferente pra ler, achei o seu bemmmm interesante...
Primeiramente Parabéns! Vc tem uma escrita gênial, só precisa melhorar alguns termo tipo "thuthuca"!!! kkkkk
A rotina ela é uma "faca de dois gumes", e então no lado do benefício proposto por ela, é que te faz descobrir algo novo quando estamos na mesma...calsa alguns bons "insites" e então talvez a moça não fosse somente paisagem, mas seus olhos não estavam atentos pra uma observação mais profunda!
E para ela, a rotina atentou-a para uma melhor valorização de si, ou então ela percebeu q tu olhava muito pra ela...kkkk enfim... Concordo plenamente com Dom Juan!!! Ah se existissem muitos desse por ai!!!
Beijos e Sucesso sempre!!!
Voltarei!!! ;D

Danfern disse...

opaaaa

(sei lá se essa é a temática do blogue...aliás, ele tem uma?)

mas...

escreve sobre o SHOW !!!

:-P

Surfista disse...

Enfim, os alôs aos leitores:

AMANDA, a reflexão sempre é válida. Beijo!

BÁRBARA, é um filme muito legal, que caiu em um limbo. Faz tempo que não o vejo em lugar nenhum - nem nos TNTs da vida.

DANFERN, "querer buscar o melhor do outro". Concordo! E digo mais: muitas vezes, não é preciso procurar muito. Ah, o blog é um espaço para contar histórias surreais ou relatar pensamentos do blogueiro. Sobre o show, adianto que foi extraordinário. Aliás, nada como usar um polissílaba para reforçar o sentido de grandeza da parada.

VERU, estou plenamente de acordo! Quando se está de bem consigo mesmo, as pessoas são contagiadas por essa vibração. Creio eu...

VI, mulheres ficam estupidamente mais lindas quando usam vestidos. É assustador. Use sempre!!!

MARCOS, que boam te ver por aqui de novo. Seus pitacos fazem falta.

ANINHA, você nunca dá fora. Fica tranquila.

LYLA, exato. O encanto não está diretamente ligado à produção. O que me chamou a atenção foi o detalhe, aquele "tchan" que valorizou o passe.

ISABELLA, poxa, não deixe que a rotina destrua seus casos futuros. Você está vacinada agora.

CONTORCIONISTA, não peguei.

LUCENA, obrigado! Volta sempre.

CAMILLE, é a nossa. Diminua o ritmo de vez em quando. Um pouco de bossa nova também é legal.

MULHERZINHA, estamos todos de acordo que a rotina é uma desgraça! Por favor, tenham sempre ao alcance um vestido florido ou uma lingerie vermelha.

DUDU, trilha do Bryan Addams, se não me engano.

JÉSSICA, obrigado pela visita, pelo elogio, pelos olhos atentos. Fiquei muito feliz. Sobre os termos esdrúxulos, vou tentar maneirar nas presepadas gramaticais.

Dudu disse...

A música "principal" é uma parceria Bryan Adams / Paco DeLucia. Mas o resto da trilha (mais instrumental) é ótima também