segunda-feira, 12 de outubro de 2009

O meu primeiro dia de férias - Parte I

Nos idos tempos do colégio, a Tia Teteca cobrava dos alunos do primário uma redação sobre as férias. 99,9% redigiam suas crônicas sob o singelo título de “Minhas Férias”. Pois é, agora eu estou de férias no ensolarado estado de Sergipe. Porém, para chegar até aqui, o drama foi de lascar. Vou compartilhar com você a odisseia que foi a viagem Rio-Aracaju.

Minhas férias...

Cerca de 13 quilômetros separam o lugar onde trabalho do aeroporto do Galeão. Nas condições normais de temperatura e pressão, eu faço esse trajeto em 15 minutos. Na sexta-feira, dia 9 de outubro, o céu desabou em forma de tempestade sobre o Rio de Janeiro. Com isso, a Cidade Maravilhosa (e Olímpica) encarou um dos piores engarrafamentos de sua história e os 15 minutos se tornaram 3 horas de trânsito.

Cheguei ao aeroporto 40 minutos antes do meu embarque. Pouco antes do meu check-in, a atendente da Gol informou que o meu voo foi cancelado, pois o aeroporto estava superlotado. Os passageiros deste avião seriam recolocados na aeronave das 4h20. Despachei a minha bagagem e olhei para o relógio: 22h13. Daí para frente, passei por situações que parecem até mentira. Saca só:

O xixi acompanhado

Fui passear pelo aeroporto para comer alguma coisa e matar o tempo. Tomei um café e fui ao banheiro fazer aquele xixi básico. Um sujeito parou no mictório ao lado e puxou assunto.

Se tem uma coisa que não rola de jeito nenhum é puxar conversa com um desconhecido que está urinando ao seu lado. Isso é inadmissível.

- Mijar é bom, né?

- Errr... pois é.

Decidi não dar muita trela para o cara.

- Dá o maior alívio, né?

- Dá.

- Tô com os olhos todos vermelhos. Até parece que fumei um baseado, mas eu não fumei.

Ah, tudo faz sentido.

- Sei.

Lavei as mãos e fui embora antes que o cara quisesse discutir a crise de Honduras durante o meu xixi.

A crise e os personagens: o careca que perdeu as malas.

Em frente ao balcão da Gol, se formou um tumulto. O tal voo das 4h20 estava lotado e todos os passageiros não caberiam no avião. Surgiu o primeiro personagem: um sujeito careca queria suas malas de volta, mas os atendentes estavam perdidos e não sabiam o paradeiro da bagagem. O sujeito careca explodiu em um esporro sem vírgulas:

- Seusfilhasdaputaeuqueroaminhabagagemagorapois-euvouprocessarvocêse...

Pausa para respirar...

- Euvouprocessarestacompanhiaetodosvocêsvãoparaoolhodaruaseus-filhosdaputaincompetentes.

A massa aplaudiu. Em poucos minutos, chegaram ao lobby a polícia federal, os seguranças do aeroporto e a TV Record. Pelo que vi, o grito deu certo e as malas do careca apareceram. As minhas sumiram.

A triste missão do angolano

Fiquei zanzando pelo aeroporto, torcendo para o tempo passar rápido. Fiz amizade com um grupo de Campinas e uma menina que também viajava para Aracaju. Às 4h15, fomos formalmente informados que o voo estava superlotado e a maioria dos passageiros não poderia embarcar. Rolaria uma peneira para decidir quem embarcaria. O pau quase quebrou (de novo) no Galeão.

Um negão de quase dois metros de altura estava com os olhos marejados. Ele puxou um dos funcionários da Gol e explicou a sua história.

- Eu vim de Angola para enterrar o meu filho que morreu em Salvador. Eu preciso chegar lá pela manhã.

Caraca, aquilo me partiu o coração. Tanto a história do sujeito quanto o tom de voz, quase soluçante. O pior é que o angolano quase ficou de fora do voo das 4 horas.

A menina sem malas

Como era de se esperar, o avião deixaria uma cacetada de gente furiosa no Galeão. Um moça alta gritou:

- Já que eu não vou embarcar, eu quero as minhas malas de volta. Este avião só decola quando eu tiver as minhas malas. Chama a polícia.

A polícia chegou, o avião decolou para Salvador levando as malas da menina, que ficou esbravejando na sala de embarque.

- Minhas malas! Minhas malas!

Seria cômico, se não fosse trágico. A garota xingou a Gol em todos os palavrões conhecidos pela língua portuguesa e voltou para casa. O careca teve sorte melhor.

Acabou? Não! Tem mais. No próximo capítulo, eu conto a histórias de outros personagens do meu voo, o que aconteceu com as minhas malas desaparecidas e como cheguei a Aracaju. He-Man, segura as pontas e guarda a moral para a Parte II.
.
.
.

14 comentários:

Surfista disse...

Drops da viagem no twitter:
http://twitter.com/splatinado

Ruiva disse...

Surfista querido, tenho cá pra mim que essas serão suas melhores férias. Tanta zica pra chegar ao destino.. só pode ser prenuncio de coisa boa.

Beijos e boa diversão por essas bandas.

Alfa disse...

Vc conseguiu chegar em Aracaju? Que bom! Esta história deu o maior rolo. Saiu no jornal e tudo.
Obs: Não fui eu qm ligpu para os coleguinhas rs...
Boas férias!!!

bjs,
Alfa

maria disse...

Férias boas pra advogado são aquelas em que as companhias aéreas falham de alguma forma. As chances de faturar uma grana que dá pra pagar outra viagem são enormes. Se precisar, estamos aí! rs

PS: adorei o "Tia Teteca"

Digo que te amo... Mas só depois de um mojito! disse...

Quer dizer que veio para minha cidade?!
Seja muito bem-vindo!!!!
Se precisar de alguma coisa grita... e pelo tamanho daqui de Aju com certeza eu vou te ouvir.. kkkkkkkk

Surfista disse...

MOJITO, sua cidade é linda. Manda um e-mail e vamos tomar uma cerva na Atalaia ou coisa parecida.

as viciadas disse...

hahahahahah

se eu ficasse sem minhas malas não existiriam palavrões no universo que satisfizessem a minha fúria.

Bjone, L.

RUInaldinho disse...

Que história louca...kkkkkkkkk

Anônimo disse...

Meu Bom, voltei de brasília nessa sexta-feira "13"... num voo que era para pousar no SDU (fechado) e foi parar no Galeão. Realmente aquilo parecia uma praça de guerra.

Para fechar, como a fila do táxi estava pior que a "fila da carne" na época do Plano Cruzado, me joguei no primeiro táxi que passou, que mandou a seguinte:

"Dotô, prá Gávea é 80 pila"

Pra sair do inferno, 80 pila foi um negócio de pai pra filho...

Aproveita aí.

Abs.

O Noivo

JUJUbildes disse...

Depois das confusões que renderam tópicos para o seu post, com certeza valeu à pena chegar em Aracaju. A cidade é linda! Estive lá em 2005 e amei!
Boas férias, bom descanso, e que a volta seja mais tranquila!

P.S.: Foi com quem para AJU?

Beijocas!

JUJUbildes disse...

P.S.2 - Curiosa eu, né? Rs... :-p

Sadhana disse...

Nooooossa que sufoco!!!
Mas espero que depois desse perrengue todo, as suas férias sejam ótimas!!!!
Bjs Xuxu!!!

Surfista disse...

JUJU, férias em carreira solo.

JUJUbildes disse...

Hummm... Simpático como vc é, logo terá cia constante na viagem! ;)
Beijocas! Bons passeios!