quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Mercedes Benz

Você sabe o que é uma marca premium? Em resumo, é aquela marca conhecida e respeitada que permite preços mais altos para os seus produtos. Ela torna-se premium pela tradição, credibilidade, qualidade superior etc. A Louis Vutton é um bom exemplo.

Essa intro explicativa que parece resposta de prova de marketing é ideal para apontar como esses breguetes de fino trato dão uma moral especial para seus donos. O Aristeu, atacante na pelada de sábado, que o diga.

Bom, Aristeu me relatou a aventura com anos de atraso, mas ainda está no prazo de validade e merece nota por aqui. Ainda mais vindo de quem vem: um cara boa pinta, companheiro, batalhador, honesto e descolado. A garota que batesse o olho seria incapaz de dizer que ele não tinha o segundo grau completo.

Enfim, como, graças ao futebol, tinha um networking forte na Barra da Tijuca, Aristeu foi convidado para uma festa de aniversário na Nuth. Um parêntesis explicativo para quem lê isso fora do Rio de Janeiro: Nuth é o olimpo das patriçotas e mauriçotes.

Mesmo se sentindo um pouco deslocado, topou e compareceu com a discrição que sempre lhe foi peculiar. Depois de algum tempo no ambiente, retomou a característica do bom atacante e sentiu o faro do gol. Mais exatamente, sacou umas olhadas marotas de uma loirinha.

"Por que não?", pensou consigo mesmo e foi tentar a sorte.

A guria dava condição, mas era esperta como um ferro de passar roupa. Falava abobrinhas sobre viagens a Miami, compras no Emporio Armani, festas no Copacabana Palace e blá-blá-blá. Aristeu ouvia tudo e pontuava as frases da menina com "uhum" ou "sei, sei".

Lá pelas tantas, deu o bote e a tchutchuca cedeu. Segundo Aristeu, nem foi grandes coisas, mas valeu para seu ego. Depois de uns amassos meia-bomba, Patriçota (vamos chamá-la assim) decidiu que já era tarde e ela tinha que acordar cedo no dia seguinte para malhar sua série de perna, glúteos e abdome com seu personal.

- Eu te deixo em casa.

- Qual o seu carro?

Putz, que pergunta anta!

- Fica relax, Patriçota. A gente vai pra casa de Mercedes. Acabei de tirar da loja.

- Uau, Aristeu - os olhinhos de Patriçota brilharam.

E lá foi o casalzinho para a porta da Nuth Lounge.

- Não deixei com o manobrista. Não gosto que dirijam minha Mercedes - indicou ele antes de sair no pique.

- Faz muito bem. Semana passada um manobrista aqui de perto arranhou o Audi do meu amigo Arquibaldo. Você conhece o Arquibaldo?

- Conheço.

Patriçota ficou paradinha na porta da boate. Enquanto esperava, retocava a maquiagem. Só saiu do transe com uma buzinada dupla. Aristeu baixou o vidro da sua Mercedes Sprinter, linha Rio das Pedras / Barra (Via Passarela).

- Bora?



Nota do Surfista: Rio das Pedras é uma comunidade em Jacarepaguá onde existe o internacionalmente famoso Castelo das Pedras, um dos maiores bailes funk do mundo.


QUAL A MORAL DA HISTÓRIA,
HE-MAN?

Essa lição é mole, amiguinho. Acho que até a Patriçota entenderia sem que eu desenhasse. Fico particularmente irritado com essas pessoas que dão valor às pessoas pelo que elas têm ou vestem e não pelo que elas são. Clichêzão, eu sei, mas acontece muito. Acho que esse é um mal da sociedade atual e está ficando cada vez mais difícil de contornar. Então, amplie sua visão e não se restrinja ao que está escrito na etiqueta. Vai que o produto é pirata. Amiguinho, não seja guloso. Faça seu prato apenas com o suficiente ao seu apetite. Até a próxima!

7 comentários:

Bob disse...

hahahaha! queria ver a cara da paty. admiro a paciência do aristeu. tenho um amigo que só gosta de paty só pq são perfumadas (?!) mas ta sempre reclamando q são péssimas de cama e não consegue ficar nem um mês namorando com uma.

Bibi disse...

Surfista, infelizmente é o que mais tem por aí. E às vezes são meninas inteligentes e estudadas que tem seus próprios carros, mas fazem questão de perguntar qual o meio de transporte do fulaninho.

Já saí com cara sem carro que eu cansei de buscar na minha Uno e não foi menos legal por isso. Já saí com cara de Classe A que eu preferia ter ficado em casa de pijama vendo o Intercine.

Sabe o cara que das tais borboletas no estômago? Então, parece que não sou a única interessada nele. Ouvi de uma amiga em comum que a outra que está a fim fez questão de perguntar qual o carro dele e depois ainda debochou. Pior que é capaz d'ela levar. Mereço??

Beijinho!

Lívia disse...

Bibi disse tudo.
Eu prefiro sair de ônibus (ou buscar o cara) e ser um cara legal do que andar de carrão por aí sendo troféu de babaca.

Marcia disse...

Se eu fosse homem, acho que não pegaria essas Patys nojentinhas QI de ameba, nem se estivesse muito na seca... Mas bacana a lição dada. Será que a moça vai continuar peguntando qual o carro dos caras?

Anônimo disse...

Vou partir em defesa das Patys.

Que mal há na mulher buscar um conforto? Um meio de locomoção adequado ao seu sapato, roupas e demais penduricalhos?

Há pessoas que perguntam qual o livro preferido; signo; comida; etc... a Paty pergunta qual o carro. Simples assim. Questão de gosto.

E gosto, como diz o outro, não se discute.

Essas questõs são muito subjetivas para serem avaliadas de maneira simplista e superficial, como feitas nesses posts acima. Meninas, não sejam tão contundentes assim.

Não podemos julgar a Paty da história apenas pelo que foi relatado.

O Noivo

Vulgo Dudu disse...

Pois é, Dougra. O Castelo das Pedras nem existe mais. Rio das Pedras está carente de um batidão...

Abs!

Surfista disse...

BOB, a Paty é um bicho difícil de compreender.
BIBI, artilheiro entra em campo buscando o gol o tempo todo. Não se intimida com cara feia de zagueiro.
LÍVIA, "troféu de babaca" foi ótimo.
MÁRCIA, não é tão simples assim.
NOIVO, tá procurando sarna pra se coçar! Essas gurias são uma fera!