segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

O poeta e a moça no título da canção

Sexta-feira, 19 horas. Balcão de uma lanchonete na rua Sete de Setembro, centro do Rio de Janeiro. Eu estava sem almoço e exausto. Nessa altura do campeonato, dois salgados e um refresco soaram como um banquete digno da Rainha da Inglaterra. Parei sem pestanejar.

As esfirras estavam um luxo. Vale a dica: sempre que você visitar o centro do Rio de Janeiro, não deixe de fazer um lanche em uma dessas biroscas de "dois salgados e um refresco por R$ 3,00". Especialmente, aquelas instaladas lá na Sete de Setembro, Rua do Ouvidor e cercanias.

- Você já reparou como é ridícula essa campanha da Nike para a seleção brasileira? - um cidadão de uns cinqüenta anos, terno amassado e gravata desfeita, parou ao meu lado com uma tulipa de chopp na mão. Pela fala grudenta, ele devia estar biritando desde cedo. Nada de estranho para uma sexta-feira pós-expediente.

- Reparou? - o cara insistiu.

Ô carência! Lá se vai a minha paz.

- O que tem a campanha da Nike? - resolvi dar um pouco de atenção pra ver se o sujeito ficava feliz e sumia.

- Sangue amarelo, garoto! Desde quando isso é positivo? Estamos sendo sacaneados aos quatro ventos. Isso deve ser coisa de publicitário argentino.

- Pois é, né?

- Sangue amarelo. Tá bom. Brincadeira, hein?

- Aham...

- Você gosta de música, garoto?

Surgiu um dilema instantâneo: se eu falasse a verdade e confirmasse, o cara iria me impregnar por mais uma hora. Se eu mentisse e dissesse que detesto, o cara poderia ficar mais uma hora tentando descobrir minhas razões.

- Gosto.

- Já reparou que somente as mulheres são homenageadas em títulos de música?

- Como assim?

- Anota aí, garoto: Lígia, Adelaide, Anna Julia, Rita, Angélica, Madalena, Amélia, Yolanda, Luiza, Andrea Doria... isso só citando as brasileiras. Fora elas, ainda tem a Layla do Eric Clapton, a Denise do Bob Dylan, a Julia do John Lennon e tantas outras. Me diz uma música com nome de macho. Vai, diz.

Eita! Não é que o pinguço estava certo?

Fiquei pensando alguns segundos e puxando todos os arquivos musicais da minha memória. Estava bem difícil.

Lembrei!

- "Pedro Pedreiro"! Taí uma música com nome de homem.

O bebum não perdeu o rebolado.

- Muso de protesto. Não tem glamour nem glórias. É uma metáfora para o trabalhador que espera o trem que nunca vem. Claro que é uma bela música do Chico.

- Você não mencionou detalhes. Só pediu uma música com nome de homem.

- Tá bom, vamos reformular. Faça o favor de me citar um caboclo equivalente a uma Carolina, musa do Seu Jorge?

- Não tem. Qual o seu ponto? Onde você quer chegar?

- Você não percebeu, garoto? Nós somos muito mais sentimentais e devotos que essas fêmeas todas. As mulheres não se dão ao trabalho de nos homenagear com belos versos e rimas ricas. Até o Pedro Pedreiro foi personagem de um autor do sexo masculino. Nós, homens, vivemos escondidos atrás de uma fachada de dureza, mas não é assim. Isso é de partir o coração - ele baixou a cabeça e saiu. Acho que só queria desabafar.

Coitado do pudim de cachaça. Fiquei sensibilizado com a tristeza e a verdade em sua constatação. O cara devia ter tomado um pé na bunda recente e ainda estava amargurado.

Certas coisas só acontecem no centro da cidade.


QUAL A MORAL DA HISTÓRIA,
HE-MAN?
Amiguinho, olhando pelo ponto de vista técnico, seu impregnante companheiro de balcão estava certo. A esmagadora maioria das canções são dedicadas a uma mulher. Mas, o cidadão alcoolizado esqueceu de "O Mundo é Bão, Sebastião", "Jorge Maravilha" e "Juca", algumas raras homenagens a musos. Sob o ponto de vista conceitual, sou obrigado a concordar com ele. Quando querem, os homens são bem mais sensíveis e românticos que as moças. O difícil para eles (incluindo a minha pessoa musculosa) é demonstrar tudo isso sem a preocupação de ser vistos como molengas. Amiguinho, nunca aceite caronas de estranhos. Até a próxima!

22 comentários:

Rebecca Agra disse...

Vcs só sabem homenagear as mulheres quando tomam um super pé na bunda!
Pq não aproveitam pra serem assim tão românticos quando estão com elas?

=P

Shiroshima disse...

também tem Marvin!

Anônimo disse...

Fio Maravilha.

Tem "Menino do Rio", meu bom. Mas como o Surfista não é daqui, tampouco o He-Man, não se lembrariam nunca...

O Noivo

Surfista disse...

REBECCA, não é bem assim que a banda toca. Homem é romântico em tempo integral, mas esconde o jogo. Quando surge o pé nos fundilhos, essa emoção aflora. Só isso.
SHIROSHIMA, eu e o He-Man esquecemos do Marvin.
NOIVO, "Fio Maravilha" vale, mas "Menino do Rio" não tem o nome do muso no título. Sendo assim, "Camisa 10 da Gávea" ou "Leãozinho" também estariam. E o autor já ganhou a dupla nacionalidade faz tempo, tá?

Surfista disse...

E levantando outras bolas: alguma outra música com nome de homem? Quem lembra? Eu já lembrei uma (de protesto, é bem verdade) do Paralamas do Sucesso.

Babs disse...

Nossa, quase fiquei com peninha...
Hehehehe...
Bjo

Bibi disse...

Bom, querido, faz até sentido. Mas de que adianta colocar tanto amor em letras e melodias e não praticá-lo? ;)

M�rcia disse...

Pois � eu tenho uma m�goa...Tanta m�sica com nome de mulher e nunca fizeram uma sequer com o meu nome t�o comum: M�rcia. Um dia ainda vou fazer com que um compositor se apaixone por mim.
Sei que o coment�rio n�o tem muito a ver com o post, mas eu precisava desabafar...rs

Surfista disse...

BABS, pois é, deu pena do pinguço.
BIBI, a maioria dos poetas costuma praticar esse amor todo. Chico Buarque continua um pegador, mesmo em sua fase veterana.
MÁRCIA, não se lamente mais. Um compositor chamado Fernando Chuí escreveu "Canção de Amor para Marcia". Confira a letra clicando aqui: http://www.lyricsspot.com/fernando+chu-can+o+de+amor+para+marcia-lyrics-1041995.html


Obrigado a todos os visitantes. Esse blog tem sido uma benção!

Vulgo Dudu disse...

E "Fernando", aquela canção que a Perla, a pequena paraguaia, cantava lá nos idos dos anos 80?

Abs!

Lady Hayworth disse...

E não é mesmo que o pinguço estava certo??! rs*
Tudo o q algumas pessoas querem é simplesmente desabafar, serem ouvidas. Beijinhos

Muleka disse...

Nunca tinha parado pra pensar nisso... se um dia eu for mesmo ao RJ espero me lembrar dessa dica. Bjs *)

[www.muleka.serelepe.zip.net]

Marcia disse...

Ah...Surfista..Não tem meu nome na letra, só no título, aí não vale...Aliás, como vc descobriu isso?? rs..

Bibi disse...

É, Sócio... Não acho que 'love is in the air', mas tem alguém colocando esse coraçãozinho velho pra funcionar de novo, hehehehehe

Agora, só falta ele saber =)

Dudu disse...

Que eu me lembre, temos 'Eduardo e Monica' (embora seja totalmente descortês com a nobre classe dos Eduardos), 'Fernando' (ABBA), 'Daniel na cova dos leões' (Legião Urbana)... Até o He-man tem uma música, cantada pelo Trem da Alegria! :)

Mas voltando ao mote central do post, nenhuma ao meu ver tem cunho romântico, algumas muito pelo contrário.

Anônimo disse...

Mas tem um detalhe: Mulher, compositora, e de qualidade, não me vem nenhuma na memória.

Acho que essa é a explicação.

Na verdade as mulheres são boas intérpretes, e só. Falta estofo e bagagem cultural para tentarem traduzir em palavras/canções o que sentem. Mas um dia chegam lá.

Saudações Rubro-Negras e rumo à Tóquio.

O Noivo

Surfista disse...

E não é que a história do bebum carente está rendendo. Quem diria, hein? Eu a escrevi tão despretensiosamente.


VULGO, você corrigiu a tempo. "Fernando" foi lançada pelo Abba e regravada pela Perla. Favor não confundir a Perla paraguaia com a Perlla funkeira. Esse é um caso raro de que o item paraguaio é original.
LADY HAYWORTH, seja bem-vinda. Pois é, todos precisam de um ouvido amigo de vez em quando. Mesmo que seja um ouvido amigo desconhecido.
MULEKA, faça isso. De preferência numa casa de sucos na Sete de Setembro ao lado da Camisaria Luidgi. Um dos melhores joelhos do centro.
MARCIA, descobri em uma pesquisa de dois minutos. Tem uma gravação do Nelson Gonçalves, mas essa eu não descolei a letra. Depois procuro melhor.
BIBI, bota esse coraçãozinho para funcionar.
NOIVO, não seja duro com as moças. Eu lembro de duas compositoras do primeiro time: Joyce e Adriana Calcanhotto. A Marina Lima teve seus momentos também. E rumo ao Bi-Mundial!

Surfista disse...

Ops! Onde eu escrevi VULGO, leia-se DUDU. Foi mal!

dama disse...

Surfista adorei teu blog. Vi parar aqui através do DR do Caixa Preta, que por sinal tá muito legal tbm. Voltarei mais vezes e se duvidar virarei leitora assídua.
Beijos.

P.S. Adorei a moral da história com o He-Man, kkkkkkkkkk.

Bibi disse...

Sócio, não precisava ter me dado o crédito no textinho do Caixa Preta né... hehehe

Beijoca!

Dudu disse...

By the way, fizeram música para o He-man (salve o trem da alegria!) :)

Surfista disse...

DAMA, espero te rever por aqui sempre. He-Man agradece o elogio.
BIBI, sempre credito os autores. Tento respeitar a criatividade de quem é talentoso.
DUDU, exatamente!