domingo, 17 de agosto de 2008

Dúvidas que surgem de quatro em quatro anos

Por que Olimpíada após Olimpíada os atletas brasileiros chegam como favoritos e não conseguem repetir o mesmo desempenho?

Por que a maioria esmagadora dos atletas brasileiros (até mesmo os favoritos) repete o mesmo discurso humilde de "vou entrar e fazer o meu melhor" e não faz?

No estranhíssimo episódio João Derly, quem pagou mais mico: o que apanhou do suposto corno ou o que admitiu ser o suposto corno?

Por que todo mundo pergunta ao César Cielo se ele já pode namorar agora? Ele estava tão no osso assim?

Se a justificativa mais comum é a falta de estrutura interna, como o Brasil pode chegar ao meio da competição e figurar o quadro de medalhas abaixo da Jamaica, Etiópia, Zimbábue e Mongólia?

Por que adestramento, cama elástica, baseball, softbol e ping-pong (tênis de mesa é o cacete!) são esportes olímpicos?

Por que futebol de areia, futebol de salão, surf e jiu-jitsu não são esportes olímpicos?


PS. Daiane, pela milésima vez, cada um no seu quadrado!

PPS: Parabéns, Cielo! Não disse que iria fazer o seu melhor, mas fez melhor que todo mundo.

22 comentários:

Cíntia disse...

Querido, que semana horrível...

E o Brasil está um mico... bronzeado...

Mas tem aquela "velha" esperança: "somos bons em esportes coletivos..."

É esperar...

Beijos....(maldita semana que não me deixou fazer coisa alguma!)

Surfista disse...

Pitaco imediato...

Querida, sou muito grilado com essa história de esportes coletivos. Na Rússia, EUA e China, por exemplo, eles devem pegar um grupo de crianças e fazer uma triagem:

- Moleque, tu vai correr. Você aí vai nadar e você outro vai fazer piruetas.

Cada um compete em duas ou três categorias da mesma modalidade e fatura umas medalhinhas. Isso os torna potências olímpicas. Os esportes coletivos duram a competição inteira e no final das contas, mal garantem uma medalhota.

Tô indignado com os amarelões olímpicos.

Pedro Favaro disse...

esporte = povo evoluído.
Brasil = futebol.
...

damaria disse...

Não resistiu, né? ;)

E o Favaro conseguiu ser mais sintético do que eu em seu comentário!

Anônimo disse...

O COI aceita o esporte no cronograma olimpico aquele que é praticado em mais de não sei quantos países e nos cinco continentes. Quer ver que por isso baseball, cama elástica e ping-pong sejam esportes olímpicos, e futsal, futareia, surf e jiu-jitsu não sejam.

E o Brasil fica abaixo da Mongólia porque eles são bons em alguns esportes, e o Brasil é médio em todos. Cada um no seu quadrado! :-P

Anônimo disse...

Apesar de não ficar satisfeita em ver nosso país sair de mãos abanando das Olimpíadas, não é algo que me comova. Sem demagogia, eu gostaria que a gente fosse como a Nova Zelândia ou Dinamarca ou Finlândia, que não se destacam em nada, mas onde todo mundo come três vezes por dia, educação e saúde são decentes, etc.etc. (se eles têm algum super atleta, fica registrada minha ignorância).
Vai ver como disseram aí as coisas estão atreladas: país evoluído é igual a maior número de atletas.
À parte as questões políticas e econômicas, é fascinante ver esse espetáculo de belos corpos no auge do esforço. Os masculinos então... *suspiro*
Lyla

Lisa disse...

Bah, tô super por fora das Olimpíadas.. Incapaz de criticar... De qq forma, neste momento, não consigo cuidar direito nem da minha vida.. que dirá meter o bedelho na dos outros....bjs

andréa disse...

Muito interessante o q a Lyla falou... Não me desaponta em nada o nosso desempenho nas olimpíadas, pois p mim reflete com fidedignidade o retrato do q somos.Muito ensaio, muita falação, mas no vamos ver...nada acontece.Isso tb não quer dizer q ver César Cielo no pódium, c aquela emoção, não tenha feita brotar uma fonte de meus olhos!!!

Beijos e não fique mais de mal humor por causa dos amarelões.

Ps:Fui tão He-man c a minha finalização, kkk.

http://foradacurva.zip.net/ disse...

Sofremos de uma síndrome estranha. Não lembramos em nenhum momento dos atletas e de como deveriam ser preparados. Durante alguns dias eles nos são apresentados. Sofremos como se fossem nossos parentes, mas é um sofrimento pouco sofrido porque sabemos que só serão mesmo alguns poucos dias.

Anônimo disse...

Perguntam isso pro César Cielo porque, pelo que se comenta, há uma cláusula no contrato dele que expressamente o proíbe de namorar. Ninguém merece! Mas acho que agora ele deve estar liberado...

contorcionista disse...

Primeiro, o Brasil não incentiva seriamente os esportes e muito menos os atletas (é por isso que não suporto o ufanismo hipócrita do Galvão Bueno!). A gente obtem melhores resultados com os esportistas que treinam fora do país, ou seja, que se dedicam integralmente ao esporte (como o César Cielo, Rodrigo Pessoa, equipe de vôlei, etc). Foi por um milagre que a Ketleyn Quadros garantiu o bronze, pois a judoca depende da renda da família para pegar ônibus e treinar quando pode em Brasília (!). Já na ginástica olímpica, os atletas estão tecnicamente preparados, mas imaturos emocionalmente, falta discplina mental. E por isso acredito que a próxima leva de ginastas promete ser digna de olimpíadas porque terá um referencial no esporte.

www.balzacsemprozac.blogspot.com

Jongleuse disse...

Coisas como o melhor do mundo cair de bunda na acrobacia mais fácil da sua série ou sumirem as varas de uma das principais concorrentes na prova do salto com vara, só acontecem com o Brasil ou a gente que não fica sabendo dos "micos" dos outros países?

rancorizando disse...

Meu, eu quero saber a mesma coisa, pq TODO MUNDO fica perguntando pro Cielo se agora ele vai namorar???? hahaha

bjones

Muleka disse...

Surfista e qual é a moral da história??? rsrs*
Sabe o que eu fico indignada? Cara eles treinam por 4 anos, dia após dia pra chegar lá e fazer isso? Balela!!!
Beijos *)

Surfista disse...

MULEKA, esses textinhos rápidos, escritos no calor do momento, não têm moral da história. He-Man tem mais o que fazer. Ele não desce do pedestal para usar sua sabedoria e tecer pitacos sobre as indignações do Surfista.

Mulherzinha Sim! disse...

O melhor de tudo foi o seu recadinho para Daiane dos Santos, que na última competição pisou fora... Mas até que eu fiquei com pena dela.
E sem dúvida, o mérito é todo do Cielo que chegou de mansinho e conquistou duas medalhas. Mandou muito bem.
Vamos ver se a gente consegue algo com o vôlei de praia masculino, já que as duas duplas brasileiras estão classificadas para as semifinais.

Dzinha disse...

Olha, eu ando sem paciência nenhuma pra esporte. Nem tenho visto nada de Olimpíada...

Beijos, menino.

Bibi disse...

www.fracasso.com.br

E o site existe mesmo!

Vulgo Dudu disse...

Na minha opinião, é ufanista demias achar que um país que caga um balde par ao esporte pode fazer melhor numa Olimpíada do que aquelas ilhotas que nem sabíamos que existiam.

Por culpa da espetacularização do esporte na mídia brasileira - a maneira como, por exemplo, a Globo faz sua cobertura esportiva -, quando um atleta como o Cielo ganha uma medalha de ouro, a mesma não se multiplica. Ao invés de gerar publicidade de investimentos, gera publicidade pessoal. A gente sabe que, quando ele voltar, vai ao Fautão, ao Jô Soares, ao Serginho Grossmann, à Angélica e a todo e qualquer programa que puder participar, até no Zorra Total vai ter lugar para ele.

Ele vai continuar morando nos Estados Unidos, treinando por lá e até mesmo estudando por lá. Sim, porque aqui no Brasil, atleta de alto rendimento precisa abrir mão de educação.

E aí, durante o Pan, daqui a dois anos, a gente escuta de novo o Galvão Bueno gritando BRASIL, com vinheta do Senna no fundo, acreditando que realmente podemos ganhar "se acreditarmos nos nossos sonhos"...

É, Dougra... Não passa de balela!

Abs!

Surfista disse...

Uma outra questão importante: como o Galvão consegue ser chato em todos os esportes??? Durante os jogos olímpicos, percebi que o seu portfólio vai muito além do futebol.

FAVARO, sei não. Há controvérsias. Até bem pouco tempo, Cuba era uma papa-medalhas olímpicas e não é esse espetáculo de desenvolvimento (se bem que sobrevive mesmo diante do boicote ianque).

MARIA, não resisti. Sou previsível.

LYLA, para mim o critério de escolha do novo esporte é: "os EUA têm chance de medalhas? Se têm, então tá nos jogos". Quanto aos corpos, o time italiano de vôlei feminino é deveras interessante.

LISA, sempre há tempo para dar pitacos na vida alheia.

ANDRÉA, He-Man faz escola. No mais, somos uma grande fachada, né? Tão falsos quanto as muambas made in China.

FORA DA CURVA, que bom te rever por aqui. Pois é, ficamos reféns de um sonho olímpico. Na verdade, continuamos com aquele desejo louco de mostrar para o mundo que somos bons, que não somos vira-latas. Isso acontece na Copa, no Oscar, em Cannes...

ANÔNIMO, pelo que vi, é mais uma recomendação do treinador dele. A abstinência é um mito. Garrincha fazia e acontecia antes dos jogos importantes e nunca teve o seu rendimento afetado. Vai entender, né?

CONTORCIONISTA, concordo! Falta disciplina, equilíbrio psicológico, foco. Acho que os caras têm que treinar fora mesmo. Lá nos estrangeiros, eles trabalham o condicionamento mental com o mesmo rigor do físico.

JONGLEUSE, ontem, a favoritíssima atleta portuguesa na prova do salto em distância foi eliminada antes da final. Os europeus também refugam. Ou serão apenas os portugueses (vide Euro 2004)? Hmmm... em caso positivo, nosso problema está na ascendência lusitana.

RANCOROSA, cara, que bom que não fui apenas eu que reparei isso. O cidadão mal ganhou a medalha e o Gustavo Borges já mandou um "agora vai arrumar muitas namoradas". É mole?

MULHERZINHA, o vôlei brasileiro é referência mundial. Vamos torcer. Eu, particularmente, torço muito pelas meninas. Depois do desastre de 2004, elas merecem.

BIBI, frustração total.

VULGO, Cielo chegará ao Brasil e vai passar o carro nas tietes. Depois deve fazer alguns comerciais. Dentro de alguns meses, mal lembraremos dele e do seu choro olímpico. Uma pena...

damaria disse...

E quando a gente acha que tudo está uma m..., só piora! Ainda bem que não parei para assistir ao jogo.

Mari Mayo disse...

Nossa, estou totalmente frustrada com a nossa participação este ano!!!
Só espero que este fiasco nas Olimpíadas chame a atenção pra necessidade de incentivo e apoio ao esporte no Brasil. Como um país que almeja sediar uma Olimpíadas, que os nossos atletas possam ser mais valorizados. Pagar um mico desses em casa, não seria nada agradável...