sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Incidente na garagem

Nossa heroína é Carlota, motorista audaciosa, amante de carros grandes e minha chefa (olha que perigo! Mas foi ela mesma que me relatou o ocorrido). Um belo dia, Genésio, seu preocupado marido, instalou um novo sistema de alarmes no carro. Algo tão potente que poderia explodir os tímpanos de um possível ladrão. Atenciosamente, ele passou à esposa todas as instruções.

- Para ativar, você aperta aqui. Para desativar, faz isso aqui, ó. Entendeu? – explicou Genésio.

- Claro. Moleza.

Na manhã seguinte, Carlota desceu à garagem do prédio e foi pegar o carro para ir ao trabalho. Seria o mesmo ritual de todo santo dia. Ao abrir a porta e jogar a bolsa, aconteceu...

Uóóóóóómmmm, vóóóóóómmmm, uóóóóóómmmm...

A desgraça do alarme parecia as trombetas do apocalipse. E com a acústica da garagem, o som se amplificava e reverberava mundo afora.

Uóóóóóómmmm, vóóóóóómmmm, uóóóóóómmmm...

Em questão de segundos apareceram seguranças, porteiros, curiosos, outros moradores e um sem-número de desocupados.

Uóóóóóómmmm, vóóóóóómmmm, uóóóóóómmmm...

Carlota sorria e informava que tudo estava bem. Era só um bug no alarme novo. Apertou o botão do chaveiro uma vez, duas vezes, três vezes... nada. Quase quebrou o apetrecho, mas conteve-se. O alarme continuou firme e valente:

Uóóóóómmmm, uóóóóómmmm, uóóóóómmmm, uóóóóómmmm...

Nesse momento, materializou-se mais uma pitoresca característica do brasileiro: assumir o perfil de mecânico. Dizem que todo indivíduo nascido sob a bandeira verde, amarela, azul e branca tem espasmos de técnico de futebol. Eu discordo. O brasileiro tem rompantes de técnico, clínico geral e mecânico. Já experimentou se queixar de alguma doença perto de um amigo? O cara vai te receitar dois remédios de 12 em 12 horas e repouso. Se precisar, assina até o atestado médico.

Enfim, Carlota estava em pânico com o carro berrante e um senhor calvo resolveu ajudar.

- A senhora vai ter que cortar o cabo da bateria. Ou esperar que ela acabe – o careca tinha até um alicate no bolso. O que leva um cidadão a passear com um alicate no bolso?

Hmmm, hoje posso encontrar um carro com o alarme disparado. É melhor sair com um alicate.

- Como assim, meu senhor? Ninguém vai cortar o cabo da bateria do meu carro.

Uóóóóómmmm, uóóóóómmmm, uóóóóómmmm, uóóóóómmmm...

Todo mundo tinha idéias espetaculares:

- Aperta a rebimboca da parafuseta.

- Corta o cabo da bateria.

- Chama o Bope.

- Toca fogo!

E Carlota se desesperava com a multidão. A sirene parecia atrair mais e mais gente. Genésio não atendia o celular e o pânico crescia.

Uóóóóómmmm, uóóóóómmmm, uóóóóómmmm, uóóóóómmmm...

Carlota suou frio, mas começou a cogitar a idéia de cortar o cabo da bateria. Entrou no carro para buscar alguma salvação. Puxou a bolsa para procurar o telefone do seguro, da empresa de alarmes ou até do Bope.

Uóóóóómmmm, uóóó.

Silêncio.

- Acabou a bateria! – alguém gritou.

O carro ligou e tudo funcionou como se nada houvesse acontecido.

Milagre? Intervenção divina?

Carlota ficou encasquetada com o alarme. Lembrou vagamente das orientações de Genésio sobre o on/off do alarme. Era algo sobre um botão... um botãozinho que ficava entre os bancos... exatamente onde a bolsa foi largada.

Vergoooooooonha!

- Tudo resolvido, minha gente. Muito obrigado e desculpem pelo transtorno – Carlota estava vermelha como um turista sueco depois de três horas tostando ao sol tropical.

A turba olhou com reprovação e, desapontada, foi se afastando aos poucos. A expectativa era que o carro explodisse e fosse enviada uma equipe do RJ TV. Não rolou.

Durante alguns dias, Carlota permaneceu com um zumbido estranho nos ouvidos.

Por essas e outras que acredito que as mulheres até podem se virar bem como motoristas, mas elas e os possantes estão longe da amizade pura e sincera.


QUAL A MORAL DA HISTÓRIA,
HE-MAN?

Amiguinho, espero que você não seja linchado por esse pensamento chauvinista. Lembre-se que a Danica Patrick é gata e pilota da Formula Indy. Bom, tirando ela, não lembro de outra. Enfim, o problema relatado foi mais de atenção do que incompatibilidade entre carro e motorista. Pelo menos, você mudou o tom e parou de babar o ovo da mulherada. Isso aqui andava muito meloso ultimamente. Enfim, sempre que alguém lhe passar orientações sobre o que quer que seja, fique atento. Se precisar, anote. Isso lhe poupará de muitos perrengues. Amiguinho, tenha espírito esportivo. Saiba perder e saiba ganhar. Até a próxima!!!




25 comentários:

Pedro Favaro disse...

Mulheres e carros. Minhs tese de psicologia, na próxima encarnação.
Eles (os carros) odeiam elas. Elas tentam amá-los. No final, um terceiro grupo é violentamente afetado: os postes.

damaria disse...

O texto não fala sobre mulheres e carros. Fala sobre mulheres e a obsessão masculina por segurança, que, geralmente, só atrapalha. Penso na jeringonça cheia de detalhes que devia ser o tal alarme. E entre bancos de carro não deveria haver NADA. Só atrapalha TUDO. Coisa de homem...

Lisa disse...

Hummm. Decepção pura... Platinado machista.. Bom, eu bato um bolão na direção, sei trocar pneu, sei até fazer ligação aquela de bateria pra bateria (aqui no Sul chamamos isso de um nome que parece palavrão), mas... acabo não fazendo nada disso e recorrendo sempre ao meu herói para manter minha fama de mulher-nem-tão-independente-assim. Tudo bem que a Carlota vacilou, mas não dá pra generalizar. Ah e entre as profissionais vc esqueceu da Cristina Rosito, "pilota" da Truck!

Lívia disse...

Confesso que sou um número mais na sua estatística. Sou um DESASTRE total no volante. Tanto que, com minha boa capacidade de reconhecer minhas limitações -e pelo bem dos demais seres desse mundo- resolvi não dirigir. E emu consolo é que no ônibus, eu pelo menos posso dormir no trânsito...

Anônimo disse...

Caro Surfista
É verdade, as mulheres não têm tanta orientação espacial, como os homens. Mas compensam isso com prudência. Elas não fazem do carro uma arma... É só olhar as estatísticas das companhias de seguro: ser mulher dá direito a um seguro mais barato. E por quê? Porque mulheres batem menos o carro, proporcionalmente. Não são aquelas porradas fenomenais: com elas são geralmente pequenas "raladas".
Eu particularmente acho os carros fascinantes, símbolos de liberdade e poder. Adoro dirigir e procuro saber o máximo, estou sempre lendo, pergunto tudo ao mecânico, etc. Mas não me arrisco a estragar minhas unhas pra trocar pneu. Pra isso existe seguro e os cavalheiros de boa vontade... Além do que com meu tamanho, não tenho força nem pra desatarraxar um daqueles parafusos! rsrs
Bjs
Lyla

Bárbara Pereira disse...

Caro Surfista,

vc deveria ouvir mais atentamente os conselhos de He-Man. Vc sabe por que as mulheres têm esses probleminhas com seus carangos? Que pergunta! Claro que não sabe. Porque temos uma lista imensa de preocupações: marido que deixa a cueca espalhada no meio da casa, comprar coisinhas para o marido no supermercado, pagar as contas que o marido geralmente esquece, limpar a porcaria da marca de cerveja que eles geralmente deixam na mesa carésima da Velha Bahia e por aí vai.

A Carlota é apenas uma vítima. Aliás, só um homem mesmo para botar um alarme insuportável que não vai espantar bandido nenhum. Se o amigo do alicate cortava em 3 minutos, imagina o bandido!

Cíntia disse...

Eu sei, deveria comentar sobre o post, mas estou sem criatividade.
O que tenho a dizer é: poxa, seu rubro-negro poderia ter só empatado com o meu hein? Crueldade...

Dudu disse...

Aconteceu algo parecido com uma conhecida minha, que uma vez livre do mico, decidiu: "alarme coisa nenhuma, afinal de contas eu pago seguro pra quê?". Não deixa de ter razão

contorcionista disse...

Tsk...tsk...tsk...que feio Surfista. Generalizar as mulheres por um incidente ocorrido com uma representante do sexo feminino! Pior ainda, difamar a vítima!
Sabia vc que eu sei o funcionamento das quatro fases da combustão, sistema de freios e elétrico, arranque, torque, etc. Detalhe: não sou engenheira e nem estudei mecânica.

www.balzacsemprozac.blogspot.com
www.balzacsemprozac.blogspot.com

Sofia Fresca disse...

Pôooo He-man puxando saco da própria patroa hein!!!rsrsrsrsrsrsrsrs

Sofia Fresca

Jongleuse disse...

O Comentário da Bárbara não ajuda muito o combater o sexismo envolvido no post do Surfista... Se o ladrão cortasse o cabo da bateria - assim como sugeriu o tiozinho do alicate - o carro não andaria; creio que assim ele seria pouco útil pra ele.
De qualquer forma, conheço muitas mulheres ruins de roda, assim como conheço homens ruim de roda.
Essa é uma minoria da qual gosto de fazer parte ;-)

Mulherzinha Sim! disse...

Fiquei rindo sozinha com esse trecho: "A desgraça do alarme parecia as trombetas do apocalipse".
E olha, não são todas as mulheres que são assim, não. Eu sei dirigir e, teoricamente, devido as matérias que escrevo para área de automóveis, sei tudo sobre carros... Motor de partida, alinhamento, velas, sistema elétrico...

Muleka disse...

Imaginei ela suando frio sem saber o que fazer... tadinha!!! rsrsrs*
Beijos *)

Surfista disse...

Polêmica, polêmica, polêmica!!! Eba!

MARIA, começo por você. A senhorita é uma mestra na arte de mudar o foco. E eu mordo a isca. Homens são seres naturalmente preocupados. Por isso, as mulheres vivem mais.

PEDRO, eu diria que eles (carros) e elas (mulheres) vivem em uma relação de amor e ódio. Os postes são os coadjuvantes.

LISA, não conheço a Cristina Rosito. Minha maior (e única) referência de corredora ainda é a Danica Patrick, da Indy. A palavra que você candidamente omitiu seria "chupeta"? Chupeta é palavrão no sul? Ah, o que mais me orgulhou no seu comentário foi como você sabe que sabe, mas ainda assim faz papel de indefesa. Perfeito!

LÍVIA, a consciência é uma virtude das mais nobres.

LYLA, olha, verdade seja dita: de uns tempos para cá, as mulheres cismaram em contrariar o meu machismo retrógrado com muita qualidade ao volante. O que me apavora é o que você mesma citou: a tal falta de noção espacial e as várias porradinhas.

BÁRBARA, mas que mulher prendada é você! E, repetindo (estou tão repetitivo hoje): homens são seres muito preocupados.

CÍNTIA, querida, acabou a urucubaca! O Furacão foi só o primeiro a desabar. Que venha o hexa!

DUDU, eis um pensamento coerente.

CONTORCIONISTA, não generalizei. Deu uma vontade danada, mas resisti bravamente. Aliás, para lhe deixar feliz (e muitas outras leitoras), eu confesso que você me dá um banho em conhecimentos mecânicos. Meu talento é puramente de condução.

SOFIA, puxando o saco? É ruim, hein?! Ainda bem que ela nem sabe que tenho um blog. Se eu contasse a metade das histórias que ela já me contou, eu tomaria o bilhete azul.

JONGLEUSE, afinal, você é ruim ou boa de roda?

MULHERZINHA, você escreve sobre autos? Opa, hora da consultoria: qual carro tem o melhor custo/benfício atualmente?

MULEKA, até que enfim alguém demonstrou solidariedade ao perrengue de Carlota. Parabéns! Estou lhe devendo uma visita. Não esqueci.

Bárbara Pereira disse...

Ei Jongleuse, não precisava bater! Eu não disse em nenhum momento que entendia de carros. Aliás, tenho um projeto prontinho para entregar para o Sebrae: montar uma oficina só de mulheres para atender a mulherada e aos gays que se sentem enganados pelos trogloditas de macacão. Uma vez o cara disse que o problema do meu carro era na tampa do "tucho" (nem sei se é assim que se escreve). Não vou postar aqui o que disse para ele pq sou uma pessoa educada!

Anônimo disse...

Ei Surfista quando é que você vai retomar a "discussão da relação" com a exterminadora de hélios?? Aquilo lá é muito bom!
Lyla

Lola disse...

Oi...
Passeando...

Costumo tentar ser boa em tudo que faço, mas tenho que admitir, não gosto de dirigir... Não gosto de pressão, assim é como se pode definir dirigir aqui no Rio. Sua "crítica" até caberia a mim...

O HE-MAN é você pensando com a razão? :)
Beijo.

rancorizando disse...

Concordo.... mulher e carro não combinam. Eu detesto dirigir, aqui em SP então, uma delícia! Fora que a gente sempre ta fazendo mil coisas ao mesmo tempo e a direção fica comprometida rs
bjones

andréa disse...

Eita q o nosso herói saiu da casca...Só pra lhe lembrar de uma informação sabida por todos, o número de acidentes causados p homens é muito maior. Pois é, mesmo qdo nós do sexo frágil não nos entendemos muito bem c o volante , ainda assim somos mais prudentes, hehehe.
Agora a pergunta q não quer calar:vc ainda tem emprego?

Bjinhos.

andréa disse...

Eita q o nosso herói saiu da casca...Só pra lhe lembrar de uma informação sabida por todos, o número de acidentes causados p homens é muito maior. Pois é, mesmo qdo nós do sexo frágil não nos entendemos muito bem c o volante , ainda assim somos mais prudentes, hehehe.
Agora a pergunta q não quer calar:vc ainda tem emprego?

Bjinhos.

Surfista disse...

BÁRBARA, já patenteou a sua idéia? O Sebrae tá dando mole!

LYLA, a Exterminadora passou por uma fase turbulenta. Passou. Depois, eu passei por uma fase turbulenta. Passou. Nessas turbulências todas, sobrou para a coluna do Caixa Preta. Uma pena!

LOLA, seja bem-vinda! O He-Man é o alter ego do alter ego. Ele é a visão crítica e debochada sobre meus pensamentos. Impressionante, não?

RANCOROSA e ANDREA, vejam como duas moças inteligentes têm visões totalmente divergentes sobre o mesmo tema.

Sim, ainda tenho emprego. Não é todo mundo que sabe sobre o Surfista Platinado. E ainda menos são os que sabem quem sou eu.

Mulherzinha Sim! disse...

Surfista, seu comentário lá no blog fois suspeito, hein... Quer dizer que você procura as exs??? rsrsrs

Vulgo Dudu disse...

Tem uma uota "pilota" sim. Aquela ex-Sem-Terra e apresentadora do Fantasia, lembra? Débora Rodrigues...

Abs!

Lisa disse...

É mesmo Dudu. A Débora Rodrigues é da Truck... E a Cristina Rosito que eu falei é famosona aqui no SUl.
PLatinado, em relaçâo à palavra em questão, por aqui ela dá margem à interpretações obscenas. Exagerei em chamar de palavrão.. Mas vc pegou o espírito da coisa.

Sunflower disse...

oderei, me identifiquei (vou até escrever sobre isso em um proximo post) mas a moral da história com o he-man foi uma tirada impagável.


beijaaaa