sexta-feira, 23 de julho de 2010

Manual para aquele que não entende (quase) nada de vinho

Com o inverno bombando e o friozinho instalado em boa parte do Brasil, um bom vinho torna-se essencial para reuniões sociais ou programas a dois. Novidade nenhuma, né? Mas esta nobre bebida ainda é cercada por uma névoa de dúvidas: que vinho escolher? O que é Malbec? O que é um enólogo? Quem só conhece Sangue de Boi deve queimar no mármore do capeta?

Divagando sobre o assunto, a querida Maria (do ótimo Blog da Maria) e eu trocamos figurinhas sobre este delicioso assunto. O texto partiu dela. Dei alguns pitacos e voilá: um manual maroto para aquele que não entende (quase) nada de vinho.

***

Embora hoje muita gente já demonstre uma certa curiosidade por conhecer os vinhos mais a fundo, nem todo mundo tem tempo, dinheiro, interesse ou paladar aguçado para se dedicar a tal tarefa. E, afinal, não há necessidade de tanta burocracia para um prazer tão simples. Então, eu (Maria) separei algumas dicas, baseadas em situações pessoais, deixando bem claro que meu conhecimento de vinhos se resume a: sentar, pedir, beber, achar bom ou achar ruim, e deixar o conhecimento técnico-científico para os experts. Então vamos lá:

1. Experimentar. Nos últimos dez anos, o mercado brasileiro de vinhos melhorou muito. Hoje, é possível encontrar boas garrafas a preços razoáveis, tanto nacionais quanto estrangeiras. Assim, quando for ao supermercado, arrisque comprar alguma coisa dentro do seu orçamento naquele dia e experimente. Às vezes, há um funcionário na própria seção de bebidas para lhe dar uma ajudinha.

2. Ainda na experimentação, há outra estratégia legal: combinar com os amigos de ir a uma casa de vinhos e estabelecer um preço. Cada um escolhe uma garrafa dentro daquela verba e todo mundo experimenta. Também, se não for muita gente, dá pra fazer isso no próprio supermercado e depois seguir pra casa de alguém para a "degustação". Uma coisa é certa ao seguir esta dica: você se divertirá com os amigos!

3. Interessante pode ser a combinação de preços com nacionalidades ou tipos: espumantes brasileiros, brancos chilenos, tintos espanhóis etc. É uma orgia de cores, sabores e nacionalidades.

4. Bom senso é importante. Uma taça do vinho da casa em qualquer lugar é altamente arriscado. A chance de beber um vinho de garrafão que mais parece Fanta Uva é imensa. É melhor pedir uma cerveja ou provar uma dose antes.

5. Ao sair com alguém para jantar, há inúmeras possibilidades. Deixe a outra pessoa escolher, caso ela saiba um pouquinho mais sobre vinhos do que você. E se você é a convidada que sabe um pouco mais, não abuse só porque é o cara que vai pagar a conta.

6. Pedir dicas ao garçom, ao mâitre ou seja lá quem se responsabilize por isso no local é válido. Na verdade, quase sempre é uma boa ideia. Mas,lembre-se de dar uma faixa de preço para não tomar um susto depois.

7. Geralmente, vinhos caros são bons. Mas, pagar pelo que você não pode é tanta pagação de mico quanto ficar rodando a taça o tempo todo com aquele ar de especialista francês.

8. E por falar nisso, se você não fez um curso de vinho, o ritual completo é dispensável, afinal, você estará apenas representando mesmo. Então, ao ser servido para a experimentação, rode um pouco a taça, com cuidado pra não molhar o vestido novo da sua companhia. Cheire o vinho pra se certificar que não há cheiro de vinagre. Dê uma olhada na rolha e cheire-a pra ver se não tem odor de mofo ou outro aroma ruim. Se houver qualquer coisa errada, recuse.

9. Como muitas outras, a relação com vinhos depende essencialmente da sinceridade a respeito do que você gosta ou não gosta. Beber vinho é uma questão de sentido e sentimento, e não ciência. Então não se intimide e divirta-se!

Tim-tim!

QUAL A MORAL DA HISTÓRIA,
HE-MAN?
Amiguinho, agora você deu para fazer crossovers entre blogs. Sorte a sua que a convidada é gente do mais fino trato. Aliás, He-Man explica o que é esta bagaça. Na linguagem dos quadrinhos, crossover é quando dois personagens de editoras diferentes se encontram em uma mesma história ou revista. É como Super-Homem VS. Hulk, Batman encontra Homem-Aranha ou X-Men VS. Turma da Mônica. Ah, o Homem Mais Poderoso do Universo está tão nerd hoje. Amiguinho, use o computador apenas com as mãos bem limpas. Caso contrário, seu equipamento vai ficar todo melecado. Até a próxima!!!


PS. Se tudo der certo, você terá uma vontade intensa de beber vinho agora.

9 comentários:

Ruiva disse...

Te confessar que ainda não consigo apreciar a bebida. Paladar de criança é um saco! Fica difícil ser phina quando as únicas coisas que agradam são bebidas doces.. Alguma dica de vinho pra casos como o meu??
Beijasss

Maria disse...

Ruiva, experimenta Lambrusco. Não entendo da qualidade da coisa, rs, pode ser que tenha gente achando que é horrível... mas como experimentei na casa de um italiano legítimo, entendido e metido, arrisco a recomendar. É meio doce, bebe-se resfriado e, por incrível que pareça, nunca me deu dor de cabeça!

Surfista disse...

Confesso que não gosto de Lambrusco, mas é uma opção. Eu também recomendo os tintos suaves.

Vulgo Dudu disse...

Eu não cirto vinho. Aliás, o day after do excesso de vinho é o pior de todos! É uma dor de cabeça e um mau estar realmente intensos - pelo menos a mim.

Bjs e abs!

Surfista disse...

VULGO, logo um cara sofisticado e intelectual como tu? Desgostando a bebida dos deuses? Estou surpreso.

Maria disse...

Eu, mesmo curtindo, concordo... o day after é o pior. E nem preciso ir pro excesso... mais de duas taças já me derrubam ;)

Sadhana disse...

Ruiva, começa tomando chardonnay, aroma frutado de paladar suave, Lambrusco realmente é uma boa dica.
...Como uma boa guria aqui do sul, eu não poderia deixar de apreciar um bom vinho, sou fascinada por vinho e espumante, dessas metidinhas a entendida, das piores, aquelas que pensam que entendem... Já fiz curso em Mendoza na argêntina e já visitei algumas vinuculas por lá, região conhecida por fabricarem ótimos merlot, vinho que realmente eu não aprecio, mais vale a pena pra quem curte isso, e quer pelo menos saber o basico da degustação.
Eu sou apaixonada por cabernet sauvignon e os chilenos são ótimos em fabricalos, também aprecio muito os espumantes, principalmente brut, os daqui da serra gaucha são muito bons.

Sadhana disse...

Malbec e nao Merlot

Edu Starling disse...

Curto bastante vinho, e o seu guia ficou maneiro

Quanto a lambrusco, acho doce demais. E os espumantes nacionais estao no geral melhores q os italianos (de preferencia o Miolo Brut e os da Salton). Quanto a tintos, melhor eu escrever a respeito... :)