terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Orgulho sulista

De tanto rodar o país e conhecer gente de várias procedências, cheguei a uma conclusão geopolítica: três cidades fabricam pessoas especialmente orgulhosas da sua origem. São indivíduos facilmente identificados pelo sotaque, pelos trejeitos e até pelo jeito de andar (como já cantou a Fernanda Abreu). Sim, são eles os cariocas, os paulistas e os baianos - os mineiros poderiam fazer parte desse grupo, mas são tímidos demais. Eu já achava que não haveria mais surpresas, mas mudei de idéia quando visitei o Rio Grande do Sul.

Os gaúchos são pessoas simples, amistosas e extremamente regionais, quase interioranas. Sua cultura é defendida com afinco e suas manias chegam a ser folclóricas. Quer exemplos? Veja o tal do chimarrão, o português cantado quase ao tom espanhol, a lenda da macheza e a rivalidade visceral entre Grêmio e Internacional. Esses são apenas algumas referências óbvias que são gritadas pelo Brasil. Agora, o que eu não sabia (e acabou incluindo Porto Alegre na minha lista) é o tamanho do ego sulista.

Historinha rápida, mas curiosa passada no trajeto entre Rio de Janeiro e Porto Alegre. Mais exatamente, são três declarações fortemente gaúchas:

Número um:

Na sala de embarque do aeroporto de Curitiba, eu aguardava a conexão do meu vôo atrasado (típico). Pertinho da minha cadeira, um garoto de uns sete anos vestia a camisa vermelha do Internacional e sacaneava um homem de uns quarenta anos trajado com o uniforme tricolor do Grêmio. Os pais do moleque, constrangidos com suas malcriações, tentavam conter seus ânimos. Como gosto muito de futebol e achei engraçado um guri daquele tamanho ser tão prematuramente fanático, resolvi chamar sua atenção.

- Ei, psiu.

Ele virou-se para mim.

- Você está vindo de onde? - perguntei.

- Do Rio.

- E você é gaúcho?

- Não, nasci gaúcho, mas sou colorado.

Ui!

Número dois:

Quase chegando a Porto Alegre, o comandante anunciou a aproximação de uma forma peculiar.

- Senhores passageiros, dentro de mais alguns instantes, estaremos aterrissando em Porto Alegre, a capital do mundo...

Eita! Capital do mundo?

Número dois:

Esse mesmo comandante voltou a carga poucos minutos depois.

- Senhores passageiros, estamos sobrevoando o rio Guaíba, a fonte que originou o oceano Atlântico...

Vixe!

Claro que o capitão estava brincando (eu espero), mas depois desses cartões de visitas do Rio Grande, além de outras constatações menores, não teve jeito. Mesmo com um jeitão argentino de ser, os gaúchos estão no grupo dos cariocas, paulistas e baianos no quesito orgulho regional.



QUAL A MORAL DA HISTÓRIA,
HE-MAN?

Ops, fui pego de surpresa e não troquei de roupa. Ninguém respeita mais as férias alheias. Bom, vamos lá. Amiguinho, todo estado possui sua própria altivez. Claro que alguns conseguem mostrar esse estado de espírito com mais facilidade. Até concordo com o G4 formado pela turma de São Paulo, Rio, Porto Alegre e Salvador, mas você não pode esquecer dos pernambucanos, candangos, cearenses e paraenses. Em proporções diferentes, também vestem a camisa e possuem uma cultura fortíssima. Amiguinho, não palite os dentes após as refeições, pois isso é feio que dói. Prefira um fio dental.

12 comentários:

Bob disse...

gaúcho se acha europeu, pior q argentino. mas gosto do sotaque deles, acho o mais divertido pq nós, paulistanos, não temos sotaque.

marcia disse...

Ops, Bob...Paulistanos não tem sotaque? Como assim? rs...
Os gaúchos são um povo diferente mesmo, estão acima dos cariocas e baianos no quesito orgulho.

Surfista disse...

BOB, paulista não tem sotaque, mano? Sei não, meu.
MARCIA, gaúchos são gente fina, mas têm um baita ego.

duduz disse...

Mermão, eu já trabalhei num projeto com vários portoalegrenses, e lá no clube alguns atletas são de lá. É tanta demonstração de ego que eu até esqueço de memorizar.

Mas essa veio de um ex-colega de empresa que foi a PoA para uma reunião do nosso projeto. Diálogo com o taxista:

- Tu é de fora, não é ?
- Sim, sou do Rio
- E o que tu vieste fazer aqui?
- Vim a trabalho, sou analista de sistemas?
- Bah, e o que esse sistema tem que um GAÚCHO não pode resolver ? Por que trazer alguém de fora ?

Anônimo disse...

Meu Bom,

A Gaúchas merecem, sempre, o nosso respeito e admiração.

E o sotaque é realmente espetacular.

Para saber se o paulista tem sotaque é só apertar o nariz de um que ele fica mudo. Todos falam pelo nariz.

Abs.

O Noivo

Surfista disse...

DUDU, você pegou o espírito da coisa.
NOIVO, as gaúchas são um show a parte. Cada prenda linda, piá!

felipenove disse...

Cara, nós capixabas é que não possuímos sotaques. Não sei qual sotaque é o mais engraçado, os gaúchos, os cariocas ou os paulistas (Mano, namorei uma paulista e o que ouvia de porrrrta, torrrta, não é bricandeira... depois vem me dizer que os paulistas não têm sotaque? Falar sério!!!).
Tudo bem que nós capixabas inventamos um monte de estória e palavras... Aqui não se vai às baladas, mas aos rocks... Taruíra só existe aqui, assim como só aqui a bola póca ao invés de estourar... Mas sotaque mesmo não temos...
Mas um consenso: AS mulheres capixabas, paulistas, cariocas, baianas, gaúchas (etc) são todas lindíssimas!!!

Bridget Jones disse...

Concordo com o Bob de que paulistas não tem sotaque. Mas meu doido da vez (que é carioca) fica a todo momento me tirando uma lasca pois eu falo biScoito e ele BiSHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHcoito...

Mas eu acho tão lindin o jeito dee falar...q até paro pra ouvir,...hahahaha

Surfista disse...

FELIPE, a bola "póca" no Nordeste também.
BRIDGET, o sotaque paulista é um dos mais identificáveis do Brasil. Esqueceu da "póirta" e da "póirteira". Eta, nóis!

João disse...

Ah, qual é?
Pode tirar os baianos dessa lista, né?
Povo feio, aculturado, com um sotaque horrível...
Para falar a verdade o único povo com sotaque bonito, é o povo sulista mesmo.
Tu falas EGO Sulista, mas, não é EGO não...
É a simples realidade.
Somos os melhores mesmo.
Ou vais me dizer que o Nordeste é bom?
A plebe que habita este lugar é preguiçosa, tem uma cultura podre(axé, forró), um sotaque horroroso.
No Norte só tem índios, que são um bando de desocupados que só ficam mamando nas "tetas" do Estado, sem perceber que o tempo deles já passou há muito tempo.
Sudeste é bom, mas, sem as favelas e os invasores do Nordeste...
E não adianta vir me dizer que foram eles que construíram SP, pois sei que os Italianos chegaram antes e fizeram o verdadeiro trabalho...

Anônimo disse...

wooow, eu ri do joão... concordo em quase tudo sim... é triste a situação dos indios mas é verdade... e quem construiu SP NÃO FOI MESMO os baianos hahahahhaha ! orgulho italiano aqui.

Ace disse...

Não há dúvidas de que a parte boa deste país foi construída por italianos. Povo inteligente, trabalhador, sofisticado e seletivo. São Paulo, Rio Grande do Sul e Paraná são sem dúvida a elite deste país, e, quando falo elite me refiro ao patrimônio cultural e intelectual.