segunda-feira, 16 de junho de 2008

A aldeia global do Papai Smurf #7

NA TELINHA: Como bem colocou o camarada Dudu, certos filmes pecam por se levar a sério. Se algumas histórias de terror ficam muito mais legais quando não se dão ao luxo de ter um fundamento inteligente, o mesmo argumento vale para produções de ação. "Mandando Bala" é um exemplar de filme ultrajante e sensacional. Sem qualquer compromisso com a lógica, verossimilhança ou QI, a trama gira em torno de um homem misterioso que se vê obrigado a proteger um bebê da mira de um exército de assassinos liderados por um crápula. Para isso, sua única ajuda é uma prostituta que atende clientes com fetiches de amamentação. Seria tema para um daqueles corujões que passam na madrugada, mas o diretor (ilustre desconhecido) reuniu um elenco tarimbado para dar vida à sua criação. Paul Giamatti é um senhor ator. Clive Owen também é talentoso. Monica Belucci é gostosa e isso basta. Então, o que diabos eles fazem em "Mandando Bala"? Quem $abe. O resultado é um filme com sequências alucinantes de tiroteios, ação ininterrupta, bilhões de tiros, diálogos estúpidos e referências ao cinema violento de Hong Kong. Com um pouco de boa vontade, tem até uma lembrança a "Django", faroeste-espaguete em que o pistoleiro Franco Nero enfrenta uma quadrilha inteira com as duas mãos quebradas. Sassette ficou indignada, mas Papai Smurf se amarrou.





NA TELONA: Muito já se falou sobre "Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal", então Papai Smurf não vai ficar chovendo no molhado. O filme é legal? Sim, Papai Smurf até achou divertido, mas se você conhece os três outros filmes da série, vai perceber que, mesmo com a melhor das intenções, Spielberg e Lucas forçaram uma barra. Minha maior crítica é que a cafajestice de Indiana, um dos seus maiores charmes, foi limada. Mesmo com aquele ar cínico, o herói se mostra um apaixonado derretido. Pô, até tu, Indy?

2 comentários:

Dudu disse...

Esse 1o filme eu nao vi, mas quanto ao Indy, acho que 2 coisas murcham a bola da galera:

1) Se passou tempo demais, o que só aumenta a expectativa dos fãs, que acumularam 19 anos de ranzinzice. Implicaram com algumas coisas de ficção desse filme, mas esquecem por exemplo que Indy acha petróleo nos esgotos de Veneza

2) Houve a necessidade de passar a história adiante, e introduzir o 'substituto' (no caso, o Mutt). Por isso, acho que apagaram o Indy meio que de propósito. Podiam no entanto fazer isso melhor, na linha do 'I'm too old for this shit' de Danny Glover na série 'Lethal Weapon'

No mais, é um filme muito bom. Ao meu ver, empata com o Last Crusade e perde para o Raiders of the Lost Ark

Surfista disse...

Cara, você sabe das coisas. Tive a mesmíssima impressão quanto ao Danny Glover. A todo momento eu esperava o Indy mandar um "I'm too old for this shit".