quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Simpatia é quase amor

Carnaval é terreno fértil para este humilde blog. Isto é inquestionável. A maior festa popular do Brasil já inspirou a história da "quase-virgem", a busca pelo famoso Baile do Diabo, uma lição de como fugir de um flagrante bisonho e até mesmo as minhas próprias peripécias na folia. Enfim, vamos ao que importa, pois há novas estripulias para relatar. Como bebi menos do que o habitual, consegui registrar alguns diálogos inusitados e situações dignas de nota no meio da farra carioca.

Planejamento estratégico na folia


Na concentração de um bloco, um grupo de rapazes aquece os tamborins com vodka e Red Bull. O Macho-Alfa define o plano assim:

MACHO-ALFA: A parada é a seguinte: vamos atacar as mulheres com mais de 33 anos.
DISCÍPULO: Mas, por que as de 33? E as ninfetinhas?
MACHO-ALFA: Mermão, vai por mim. Mulher entre 23 e 33 quer arrumar casamento. As com mais de 33 querem arruinar o casamento dos outros.

Hmmm... não é que faz sentido?

A cantada irrecusável

Folião cheio de conversinha prepara o bote em cima da garotinha indefesa.

FOLIÃO: Gatinha, saca só, eu estava ali te olhando e te achei linda. Aí, eu pensei que a gente poderia ficar. Se você acha que sim, dá um sorrisinho. Se achar que não, dá um mortal para trás.

Não vi a conclusão, mas acho que ele se deu bem.

Me dá o seu telefone

A mulherada cisma em classificar 99,7% dos machos com uma horda de salafrários. No entanto, ouvi uma pérola da cafajestice vinda de uma doce mocinha.

PIERRÔ: Gatinha, a gente poderia se ver de novo.
DOCE MOCINHA: Talvez... pode ser...
PIERRÔ: Pode ser sim! Qual o seu telefone?
DOCE MOCINHA: Nokia.

Pffffffffff...

Ajuda inesperada

Nádia decidiu encarar um bloco em Ipanema com as amigas. Quando estavam procurando uma vaga, o carro aqueceu e morreu. Por mais independentes e descoladas que fossem, as três sentiram que estava em uma roubada. O carro não funcionava de jeito nenhum. Como o bom e velho Murphy estava de olhos abertos, o problema no motor não seria o único. Logo na esquina, um bloco surgiu e seguiu em rota de colisão.

A multidão saltitante se aproximava e as meninas sentiram o sangue gelar. Três mocinhas formosas dando mole na pista assim de mão beijada eram pratos fáceis para os predadores. Era uma questão de tempo.

- Peraí, tem alguma coisa estranha com este bloco.

- Tem muito homem forte de sunguinha. Muito garotinho de gel no cabelo.

- Ih, até que tem uns gatinhos suados ali.

- Quem? Aqueles dois se beijando?

- Glup!

Do meio do bloco desinibido, liberal e moderninho, uma garota de cabelos curtinhos resolveu puxar assunto com a Nádia.

- Fala, gracinha. Vem com a gente. O bloco está ótimo.

- Errrr... não dá.... o carro morreu.

- Ah, é? Se eu consertar, você me dá o seu telefone?

- Glup!

Nádia pagou para ver.

E perdeu. A garota abriu meteu a mão na massa e fez o carro funcionar. Nádia deu o seu telefone. Até agora, a princesinha mecânica não ligou – até onde eu sei.

QUAL A MORAL DA HISTÓRIA,
HE-MAN?

Amiguinho, enquanto o vitaminado He-Man está se recuperando da ressaca pós-Carnaval, o valente Príncipe Adam assume o comando. Bom, vamos ao seu caso. Olha, até que seu histórico carnavalesco está melhorando. Dessa vez, não teve assédio às menores de idade ou flerte com travecos. Excelente! Aliás, por que você não colocou algumas das histórias em primeira pessoa? Eu sei que você protagonizou algumas delas. Você está devendo na praça? Não tente enganar o Homem Mais Forte do Universo e o seu alter ego igualmente sábio. Amiguinho, cuidado com os seus segredos. Escolha bem as pessoas de sua confiança. Até a próxima!

13 comentários:

Calcinha combinando... disse...

Surfista querido,

Tem um presentinho pra vc lá no blog. E um meme tb, pra agitar a volta do Carnaval!!! rs

http://confrariadascalcinhas.blogspot.com/2009/02/meme-literatura-e-arte.html

Bjuuuuuuuuuuuu

maria disse...

Como foliã do carnaval 2009 na cidade maravilhosa, eu digo: nota 8,3 pros cariocas. Assédio razoável, com cantadas baratas já manjadas, mas sem uso da força e da falta de educação. A melhor foi com a minha amiga: "olha só, eu queria conversar com vc..." Pô, conversar? Em plena multidão? Me diz como?

A Truculenta disse...

hahahahaha
Adorei!!!
A cantada do cara realmente foi mto boa. E a resposta da mina do telefone é minha cara. \o/
Por essas e outras que eu amo o carnaval! :D
bjão

Leandro Marlon disse...

Haha... é... carnaval em tempos modernos pode render de tudo... tudo mesmo... haiuahuiah
- pelo lado positivo, rende ótimos textos para seu blog ;D

Amanda Hora disse...

Adorei o descanso do He-Man! Até ele precisa descansar, não é mesmo?
Que ele volte com mais conselhos sábios na ponta da língua...

Mulherzinha Sim! disse...

Ótimos relatos! Realmente o Carnaval é uma época bem propícia para postagens.

Ah, indiquei seu blog para uma matéria que a minha amiga estava fazendo.

Bjo

Lisa disse...

passeio carnaval bem longe dele, por mais louco q isso pareça, o carnaval me agrada mais quando visto de longe. bem de longe.

contorcionista disse...

Carnaval é um grande circo.

Muleka disse...

Surfistaaaaaaaa conta mais, certeza que tem muito mais peripécias!! E conte na 1ª pessoa!! Beijão *)

Jongleuse disse...

Vc nem imagina as coisas que a gente ouve e ve no carnaval de SSA...

Surfista disse...

JONGLEUSE, compartilhe conosco as atrocidades que atacaram os seus ouvidinhos inocentes. Não fique tímida!

Deborah disse...

Pedir o telefone no meio da data mais sem compromisso do mundo é pedir pra tomar um fora.....e olha que a mocinha até que foi bem espirituosa!!!

Nanda Albuquerque disse...

Oi Surfista,
Sempre dou uma passada pra ler suas histórias. As de carnaval são sempre impagáveis. A que eu mais gostei foi a do planejamento estratégico: pq é verdade!!!
Visita o meu blóóg: www.dandopintanainternet.blogspot.com. A Ruiva já é assídua.
bêê tóó
Nanda