segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

O bom homem e o favor recompensado

Há alguns anos, eu passei o carnaval em Cabo Frio. Em um fim de tarde despreocupado, eu me ocupava em avaliar as condições de gelo, textura e sabor de uma latinha de cerveja quando fui abordado por um bêbado querendo conversa. Isso já aconteceu comigo tantas vezes que eu não conseguiria contabilizar. Com crianças é a mesma coisa. Todo pimpolho gosta de me mostrar o brinquedo novo ou brincar de pique comigo. Pois é, eu confesso que sou um imã para a gurizada e para os cachaceiros.

Abelardo, amigo de longa data, é um para-raio de maluco e protagoniza uma história que tem vaga garantida no universo do Surfista Platinado. Saca só:

A namorada de Abelardo (atual esposa, por sinal) fazia faculdade na Lagoa e costuma sair depois das 23h. Como bom rapaz e cavalheiro de fino trato, sempre que podia, Abelardo se prontificava a pegá-la de carro.

Ah, para os leitores de fora do Rio de Janeiro, a namorada de Abelardo não estudava dentro do lago. A tal "Lagoa" é o bairro Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul carioca. Além de fazer fronteira com Ipanema, Leblon, Copacabana e Jardim Botânico, este belo pedacinho da cidade também é caracterizado pela Árvore de Natal do Bradesco, pelos engarrafamentos da entrada do Túnel Rebouças, pelo Parque dos Patins, pelos praticantes de remo e pela sede do Clube de Regatas do Flamengo. Um pedaço nobre da metrópole.

Como naquele tempo a Lei Seca era um conto para assustar os motoristas, Abelardo costuma esperar a amada em um boteco na esquina tomando uma cervejinha gelada e jogando conversa fora com os locais.

Já reparou como toda faculdade tem um botequim xexelento nas proximidades? Faz parte da cultura universitária tomar uns gorós num pé-sujo vizinho.

Numa dessas noites de espera, Abelardo tomava uma Skol e fumava um cigarro. Parecia que tudo seguiria a sua rotina, até que o rapaz percebeu um mendigo a poucos metros. O sujeito estava com olhos de pidão e nosso herói, taoísta com claras influências cristãs, se sensibilizou.

- Vai um cigarrinho aí?

O rosto do vagabundo se iluminou em um sorriso. A alegria foi completa quando Abelardo ofereceu um copo de cerveja também. O homeless ganhou o dia e quis retribuir... ao seu estilo.

- Você é muito educado, moço.

- Obrigado.

- Faz muito tempo que ninguém faz isso por mim.

- Não foi nada.

- Foi sim. Olha, eu tenho família. Mulher e algumas filhas, sabia?

- Que bom.

- E tenho uma filha ajeitadinha.

Abelardo começou a ficar preocupado com o rumo da prosa.

- Parabéns, senhor.

- Quero que você coma a minha filha.

- Hein?

- Pois é, ela é arrumadinha e coisa e tal. E eu gostei muito da sua atitude. Esses playboys nunca me pagaram um copo d'água.

- Foi só um cigarro e um copo de cerveja. Não precisa.

- Precisa, sim. Você vai passar aqui amanhã? Eu trago a minha filha amanhã e você come ela.

- Olha, não precisa. Juro.

- Deixa de ser tímido. Você é um rapaz bonitão e não tem cara de boiola. Aposto que vai gostar!

- Olha, obrigado, mas não vai dar. Preciso ir, tá? Abração.

- Peraí, garoto. Quando você vai comer a minha filha?

Abelardo continuou pegando a namorada sempre que podia, mas perdeu o boteco para fazer hora. Vai que o mendigo aparecesse com a filha...


QUAL A MORAL DA HISTÓRIA,
HE-MAN?
Amiguinho, se a filha do maluco valia um cigarro e um copo de cerveja, imagina se ele tivesse pago um salgado também? A lição do dia é simples: faça o bem sem esperar uma recompensa. Muitas vezes, a recompensa vai ser tão bizarra que você não vai dar conta do recado. Amiguinho, ouvir música no volume máximo é legal, mas respeite o sono e os ouvidos alheios. Até a próxima!!!

14 comentários:

Maria disse...

Sob o ponto de vista do Abelardo, a história é até engraçada... já a do ébrio... bem, certamente ele estava pondo para fora a revolta que deve ter com os fulanos que comem a filha dele. Mais confuso para nossas cabeças é pensar que em algumas culturas, oferecer a mulher ou as filhas aos amigos ou aqueles a quem se quer recompensar é hábito dos bons.

Boa história meu querido.

Branca de Neve disse...

Será que a filha do bêbado soube da oferta?

Madame Sadô - Masô disse...

Olha, olhando a fotinho do seu perfil, tão platinadinho...hum....
Que tal marcarmos algo? Você
não precisa me pagar nenhuma bebida, faço por prazer!

RUInaldinho disse...

Até eu cabrerava com uma oferta dessas...como diz o cancioneiro popular "nem toda comida oferecida a gente come"...
PS.: o volume máximo do meu fone é tão ínfimo que não incomoda nem ouvido de formiga...

Nanda Albuquerque disse...

Caramboleta,
Essa foi impagável... fiquei imaginando a cara do Abelardo depois de tal oferta, hahaha.
Tem coisas que acontecem que a gente fica pensando que só pode ser piada.
bêê tóó

Maria disse...

Moço, ontem fui chamada de Janis Joplin (ok, eu estava com um vestidão e o cabelo sabe Deus como). E de quebra, a figura ainda recitou Manuel Bandeira pra mim (bem, ele disse que era Manuel Bandeira). Mas tava mais pra crack do que pra pinga. Triste.

Madame Sadô - Masô disse...

Querido Platinado, muito obrigada pela visita.
Meus recados pra vc sempre serão provocantes e o convite ainda está de pé, e pode deixar que eu saberei aproveitar muito bem o seu tapinha "fofo".

Beijos (de língua)


Madame

Digo que te amo... Mas só depois de um mojito! disse...

Olha... já ganhei saco de laranjas, mudas de manjericão, até uma galinha viva...
mas um "filho ajeitadinho" ninguém nunca ofereceu a essa pobre preservadora da lei e da ordem!


P.S.: Ah, Surfista, eu sempre estou por aqui, porém o tempo pros comentários diminuiram drasticamente!

Vulgo Dudu disse...

Então é assim que você faz com as histórias? Captei a coisa! Muito bom! O "taoísta com claras influências cristãs" é que é meio inverossímil.

Abs!

Surfista disse...

VULGO, Abelardo é mais generoso e "cristão" (no melhor sentido da palavra) do que muito beato carola que anda por aí.

Mulherzinha Sim! disse...

Surfista, choquei!

Será que foi a primeira vez que o bêbado teve essa atitude? Será que alguém aceitaria a recompença se estivesse no lugar de Abelardo?

Fica a dúvida!

Beijos

www.mulherzinhasim.blogspot.com
www.formspring.me/mulherzinha

Alfa disse...

Gente,

A filha dele devia ser prostituta e ele queria dar uma engrenada na carreira da moça. Imagina a filha fazendo carreira com os playboys.
Eu acho rs...


bjs,
Alfa

Sra. F disse...

Cada maluco que aparece! Vai ver ofereceu a filha pois na cabeça dele era a única "coisa" de valor que ele tinha para retribuir à altura.

Surfista disse...

MARIA, obrigado, querida! E você é muito mais bonita que a Janis.

BRANCA DE NEVE, provavelmente, não.

MADAME, propostas indecentes...

RUINALDINHO, ou mais popularmente: "quando a esmola é demais, o santo desconfia".

NANDA, ouço cada coisa, menina. Essas histórias são as publicáveis.

MOJITA, que bom te ver por aqui!

MULHERZINHA, duvido.

ALFA, sei, sei...

SRA F, exatamente: cada maluco que aparece.