domingo, 21 de março de 2010

A aldeia global do Papai Smurf #14

Assim como a Glória Maria, Papai Smurf andou curtindo o seu período sabático, mas está de volta. As dicas são álbuns quase desconhecidos de gente conhecida. A brincadeira é simples: pegue cinco artistas renomados e escolha aquele tesourinho da sua discografia, isto é, aquele CD que pouca gente ouviu, mas você acha maneiro pacas. Saca a lista do ancião azul:


"O Descobrimento do Brasil", da Legião Urbana (1993)
Penúltimo disco de estúdio da banda mais famosa de Brasília, este CD estourou nas rádios apenas o single "Perfeição". Foi pouco. Na aldeia, Smurfete chora quando ouve a beleza fúnebre de "Love in the afternoon" (que lembra o próprio Renato Russo) e se diverte com a esperançosa "Vamos fazer um filme". Antes de ir para a cidade do pé junto, o compositor declarou que "Giz" foi a letra mais bonita que ele já escreveu. Você encontra essa pérola neste simpático disquinho.

"Sailing to Philadelphia", de Mark Knopfler (2000)
Por anos e anos, o escocês Mark Knopfler foi a voz e a guitarra virtuosa do Dire Straits. Quando a banda decidiu encerrar suas atividades, o músico deu um gás na sua inspirada carreira solo. "Sailing to Philadelphia" reúne levadas folks, country music e uma guitarra mais chorosa, porém vibrante. Entre os convidados, James Taylor e Van Morrison atestam o clima introspectivo e maduro do artista. Papai Smurf ouve esse disco tomando uma dose de Jack Daniel's.

"Kid A", do Radiohead (2000)
O Radiohead sempre foi uma banda esquisitona. Muito talentosa, verdade seja dita, mas esquisitona. Mesmo com uma lista de sucessos populares como "Karma Police", "No Surprises" e "Fake Plastic Trees", a banda curte um som cabeça. Segundo Smurf Gênio, "Kid A" foi uma pegadinha da banda com a sua gravadora. Depois do sucesso de "Ok Computer", Thom Yorke e sua turma decidiram fazer um CD cheio de texturas sonoras, psicodelia, acid jazz, experimentações e barulhinhos eletrônicos. Pouca gente ouviu, mas virou cult.

"Live at the BBC", do Dire Straits (1995)
Em 1995, quando "Live at BBC" foi lançado, o Dire Straits já era uma banda extinta (acabou em 1993). O disco registra versões ao vivo do grupo em seus primórdios – a maioria das faixas foi gravada nos estúdios da rádio em 1978. O resultado é um álbum vigoroso com músicos talentosos e um instrumental sofisticado, contrariando a onda punk que tomava conta do Reino Unido naquela década. Enfim, se o também ao vivo "On the Night" mostra o Dire Strats experiente e maduro, esse registro na BBC apresenta a banda jovem e cheia de tesão pela música. O hino "Sultans of Swing" é a faixa 5. A aldeia toda se amarra neste CD.

"Conspiracy of One", do Offspring (2000)
Nos anos 1990, Smurf Robusto costuma tomar açaí com morango e granola em uma casa de sucos da aldeia. Enquanto comia, ele assistia vídeos de surf com a músicas do Pennywise, Hoodoo Gooroos e do Offspring. "Conspiracy of One" veio em sequência ao álbum "Americana", que colocou para valer a banda californiana no mainstream. Com apenas um single que emplacou ("Original Prankster"), o disco traz guitarras ligeiras, musicalidade adolescente (no bom sentido) e os vocais inconfundíveis de Dexter Holland.

2 comentários:

Surfista disse...

Estou pensando seriamente em reincidir o contrato do Papai Smurf e convidar outro personagem...

Dudu disse...

Só discaço!

E acho q o problema é q nego não ousa discordar do velho azul :D