terça-feira, 27 de abril de 2010

A capa da Playboy

Pequenas polêmicas de mesa de bar rendem pauta. Particularmente, acho que três ou quatro rodadas de chope são sementes para as melhores inspirações deste blog.

Era uma vez...

Papo vem, papo vai, sabe-se lá de onde surgiu o comentário:

EU: Lindinha, você se formou em relações internacionais. Deveria seguir carreira de assessora parlamentar em Brasília.

ELA: Gostei da ideia.

EU: E na pior das hipóteses, pode virar musa da capital federal e posar para a Playboy. Lembra da Mônica Veloso?

ELA: Tá maluco?

AMIGO: É sempre um plano B.

AMIGA (NAMORADA DO AMIGO): Não vejo problema. Você é bonita, novinha e tá com tudo em cima.

ELA: Vocês estão falando sério? Nem pensar.

AMIGA: Nem um Paparazzo? Paparazzo é charmoso. Rola só um peitinho discreto e uns biquinis atochados em preto e branco. Eu posaria.

AMIGO: Pois é, e ainda tem aquele Photoshop maroto para corrigir as pequenas imperfeições.

EU: Eu gerencio o projeto e fico com uma módica comissão de 20%.

ELA: Não acredito no que estou ouvindo. Alguém perguntou se eu posaria pelada para a Playboy, a Sexy ou o Paparazzo?

EU: Estranho seria se topasse para a revista do Globo Rural.

A conversa se estendeu por mais algum tempo – mais precisamente até a próxima rodada de cerveja. Daí para frente, a gente passou a debater o BBB, a política de direitos humanos na China e a influência direta dos celulares wifi no crescimento de arroz no Vietnã.

Mas ficou a questão: você deixaria a sua mulher posar para a Playboy?

E você, mocinha com corpo maneiro e autoestima em dia, toparia ser clicada em trajes sumários – ou sem eles?

Provocações à parte, eu pensaria "mulher minha pelada na parede de mecânico? Nem por um decreto". Aí vem aquele diabinho no ouvido: "pensa na moral de falar para a cuecada toda que você está pegando a capa da Playboy. É que nem Mastercad, não tem preço". Sob o ponto de vista feminino, o capetinha usaria um argumento mais assertivo: "R$ 600.000,00 + cachê rechonchudo para mostrar sua bela cútis em algumas festas e eventos badalados. Vai?".

Vamos combinar, 600 mil dinheiros fazem qualquer moça reavaliar seus conceitos sobre a dita nudez artística.

E você aí do outro lado da tela? O que você acha? Posaria? Deixaria posar?


QUAL A MORAL DA HISTÓRIA,
HE-MAN?
Amiguinho, bêbado é uma desgraça. Não pode tomar uns gorós além a mais e já começa ter ideias estapafúrdias. Ih, é a primeira vez que escrevo "estapafúrdias". He-Man é realmente um oceano incomensurável de palavras – um ás da língua (entenda como quiser). Ah, o tema? Claro, claro. Cada um com o seu cada um e com os seus valores. Tem gurias que ficam sem roupas rapidinho e sem receber um centavo por isso. Outras, porém, podem se sentir seduzidas pelos encantos do vil metal. Que seja. Cada um com o seu preço. E se serve de consolo, os holofotes só ficam sobre a modelo da capa durante 30 dias. No mês seguinte, outra donzela assume o lugar nas prateleiras das bancas. Bom, a menos que a sua edição seja um fracasso de vendas, que nem umas e outras que se aventuraram recentemente. Aí você vira chacota e pauta para o programa do Leão Lobo. Amiguinho, não jogue chiclete no chão. Dá uma raiva filha-da-%#¨$%¨% quando se pisa em um chiclete. Até a próxima!!!

PS: Taí um texto que vai bombar nas buscas do Google. Vou colocar mais lenha na fogueira: mulher pelada, capa da Playboy, bunda, Paparazzo, peitão, sacanagem, nua, estrela. Tá bom, né?

8 comentários:

RUInaldinho disse...

Nosso Mestre do Universo, na verdade, é um ás da "língua", e não da "lígua", hehehehe...

Sobre a pergunta que não quer calar: eu toparia, afinal, minha namorada já não é qualquer um que agüenta (no bom sentido =P), se fosse capa da Playboy só iria valorizar mais ainda o meu passe =D

Valeu Surfista, abraço!

Surfista disse...

RUINHALDINHO, ops! corrigido. Obrigado!

Camille disse...

Caro Surfista...
"Vamos combinar, 600 mil dinheiros fazem qualquer moça reavaliar seus conceitos sobre a dita nudez artística."
Sem falso moralismo, recebendo uma boa proposta, porque não? rs...

Maria disse...

fácil.

e eu tenho um projeto em vista. só não vai ser publicado porque não sou famosa, rá!

Mulherzinha Sim! disse...

Como diz o velho ditado, se pagar bem, que mal tem? Eu posaria sim para a Playboy por um bom dinheiro. Afinal, não sou nenhuma celebridade. Então, logo cairia no esquecimento da galera e ficaria com a minha continha recheada de dindin.

Agora, uma coisa que não aceitaria por dinheiro nenhum é fazer filme pornô. Isso sim eu tô fora!

Surfista disse...

As mulheres até que estão tranquilas com a situação, mas e os homens? Você, camarada de cueca, deixaria a sua mina ser clicada como veio ao mundo?

RUInaldinho disse...

"RUINHALDINHO, ops! corrigido. Obrigado!"
Pow, Surfista, mudei de nome agora? Kkkkkk

Os caras tão é com vergonha, seja de dizer que não tão tranquilos (insegurança), seja do contrário (ser taxado de "banana")...no meu caso, o tiro não sai pela culatra porque eu me garanto...hehehehehe

Surfista disse...

Putz, foi mal pela demora em responder aos comentários. Culpa total minha pelo pecado capital da preguiça.

RUINALDINHO, 1000 desculpas.

CAMILE, cada um tem o seu preço. E, falando francamente, faz tempo que posar pelada é justificativa para apedrejamento público.

MARIA, ah, quero saber mais sobre isso. Eu bem que já desconfiava.

MULHERZINHA, com o perdão dos trocadilhos infames, pornô é realmente um (blow)job mais harcore.