terça-feira, 20 de maio de 2008

Face a face com o ídolo


Já diziam os mais antigos: "toda pessoa serve para alguma coisa. Até as ruins, que servem como mau exemplo". Então, nada mais perfeitamente natural do que ter um ídolo. Seja vivo ou morto, político ou anarquista, povão ou erudito, homem ou mulher, o ídolo exerce sobre a massa um encantamento diferenciado. No Brasil, a maioria dessa galerinha que atrai reverências se concentra na classe artística. E nem precisa ser artista. Particularmente, acho muito esquisito o cidadão passar uma temporada em uma casa cheia de câmeras sem fazer absolutamente nada de útil e despontar automaticamente para a fama e o estrelato. Coisas do universo pop que superam a minha esperteza.

Bom, onde quero chegar é que todo mundo tem um ídolo ou já teve alguma vez na vida. Para Adora, amiga morena de corpo escultural e sorriso avassalador, um certo cantor sertanejo despertava sua completa devoção.

- Candinho é fofo. Candinho é talentoso. Candinho é charmoso. Candinho é bacana. Candinho canta muito..

Para mim, Candinho é o raio que o parta! Nunca entendi como esses caras de calças justas e vozes estridentes conseguem mobilizar a paixão de tanta gente, independente de cor, credo, sexo ou nível social. Depois de ficar amigo de um médico goiano que chora quando ouve Bruno e Marrone, passei a considerar esse fenômeno como o tal do imponderável. É aquilo sem qualquer explicação, que existe e pronto.

Mas, voltemos à história de Adora. Muito bem-relacionada, a moça tem passe livre pelos estúdios da Rede Globo e conhece gente graúda da Vênus Prateada. Numa dessas visitas ao Projac, foi avisada que Candinho estava se apresentando no programa da Xuxa.

Adora ficou alucinada. Usou sua influência e foi assistir à gravação do programa de pertinho. Emocionada, cantou junto com o playback do Candinho e se comportou tal e qual uma tiete alucinada. Seu comportamento histérico foi notado pelo artista, que mandou-lhe um beijo. A morena de derreteu.

Depois do programa e do surto de comoção, Adora foi abordada por um rapaz que se dizia da produção do Candinho.

- Senhorita, o artista gostaria de lhe conhecer no camarim.

Adora não é nenhuma adolescente, mas sentiu-se com 15 anos de idade novamente. Acompanhou o rapaz e percebeu as pernas bambearem a cada passo. O coração parecia uma britadeira dentro do peito.

Aí eu pergunto, tem explicação uma coisa dessas? Não, não tem.

Candinho estava sentado em um sofá, com as pernas cruzadas e o sorriso de galã de novela. Bebia uma água mineral e assim que percebeu a chegada de Adora foi cumprimentá-la com um beijo e um looongo abraço.

Eu, que sou amigo, não consigo arrancar um abraço desses, mas o Candinho pode. Ah, entendi. Por essas e outras, acho esse negócio de "amigo de mulher" uma esculhambação.

Candinho a convidou para sentar e ficaram falando triviliades. Adora revelou que é louca por seu trabalho, que tem todos os seus discos e blablablabla. O cantor a ouviu com interesse.

- Adora, você é muito bonita, sabia? - começou. Já estava demorando.

- Obrigado, Candinho - a moça aceitou o elogio numa boa. Sacou o tom do gracejo, mas se fingiu de desentendida.

- Senta aqui, senta - Candinho deu dois tapinhas no colo.

- Como assim, Candinho?

- Aqui, ó. No colinho.

Se eu estivesse naquele camarim, eu diria: "toooooooma. Agora vai sentar"!

- Não, Candinho, você é casado.

- Não se preocupa com isso - e lá foi o ídolo pop encurtando espaços e se aproximando da fã. A cena, segundo descrita, foi digna de uma comédia de segunda. Ele se aproximava e ela se afastava. Ele levantou e ela idem. Pelo canto do olho, ela localizou a porta e preparou uma saída rápida pela direita.

- Você me dá seu celular? - com certeza, Candinho não estava acostumado a ouvir um não. Possivelmente, isso o atiçou ainda mais.

- Não tenho celular.

- Então, me dá o seu telefone de casa.

- Não tenho também.

- Ah, faz isso comigo, não.

- Você é casado, cara.

- E daí?

- Tá pensando que eu sou o quê?

- Linda, só isso.

Adora começou a ficar com medo. O camarim estava vazio e o cara parecia crescer em mãos.

- Candinho, se comporta. Vai que aparece alguém.

E apareceu. Uma apresentadora de TV entrou no recinto. No que ela pisou na salinha, Adora escapuliu sem deixar rastros. Meia-hora depois, voltando para casa, seu telefone tocou.

- Adora, sou eu.

Verdade seja dita, ser uma celebridade abre portas. O mané conseguiu descobrir o telefone da garota em trinta minutos.

- Oi, fala.

- Posso te ver de novo?

- Não, não pode - e desligou.

Adora ainda acha que o Candinho é um bom cantor, mas reviu seus conceitos em diversos aspectos. Visitas a camarins? Só se for acompanhada de um segurança. Se precisar, eu me candidato.


QUAL A MORAL DA HISTÓRIA,
HE-MAN?

Amiguinha Adora, você conta com a simpatia do Todo Poderoso He-Man porque tem o nome de minha irmãzinha querida. No entanto, sua ingenuidade merece um puxão de orelhas. Diante de uma mulher bonita, um homem (por ser homem) já é um perigo, agora imagina quando com fama e poder. Aí, somem escrúpulos, pudores, freios e o escambau. O cara vira um caminhão de testosterona desgovernado. Cabe a você, amiguinha pseudo-adolescente desiludida com seu ídolo, ter o discernimento para saber que pode existir um macho tarado por trás da carinha de bom moço. Acho que você aprendeu a lição e não cairá no mesmo truque de novo. Amiguinhos, só tomem medicamentos sob supervisão médica. Até a próxima!

PS. Adora, conte mais histórias sórdidas sobre celebridades. Eu prometo que não revelo suas identidades.

15 comentários:

damaria disse...

Que me desculpe o resto da humanidade "normal", mas eu acho essa coisa de "ídolo" uma palhaçada sem fim. E é por tanta gente exercer uma admiração exacerbada por estas pessoas, que vão além de seus talentos, é que alguns viram verdadeiros babacas, como esse aí da história.

Anônimo disse...

Essa Adora é sonsa...

Ela tinha q mudar de nome para Agora.

Mas tem q divulgar quem é o Candinho. Vai que a minha mulher é fã dele, hehehe

O Noivo

Cíntia disse...

Ela deu sorte até. Poderia ser mais uma "groopie de sertanejo".

Argh! "No colinho".... argh...

Beijos, moço

Dzinha disse...

Discernimento para saber quando pode existir um macho tarado por trás da cara de bom moço?? Ah, Surfista.. Diz pro He-Man que quando a gente gosta, a noção desaparece junto com a sensatez. Eu, que me gabo horrores de sentir de longe o cheiro de mutreta, acabo com o olfato confundido se houver o mínimo de admiração pelo sujeito.

Beijinhos pra tu.

Marcia disse...

Eu já tive um encontro com meu ídolo e concordo com a dzinha: admiração confunde e nos faz perder o juízo às vezes.

Dani Amorim disse...

Eu tava pensando nessa de admiracao exagerada dia desses. Passei intacta pela fase xuxa, new kids on the block,domino, etc, etc. Mas sucumbi aos encantos do meu amado Jorge Drexler.Estou no sudestes e saber que ele vai tocar no Uruguai em 4 dias me deixa deveras perturbada e lamuriosa pela falta de bala na agulha (vulto dinheiro no bolso- ou na conta). Minhas demais observacoes sobre meu amado vao render um post, q ja comecei a escrever.
So um ex, dia desses recebi uma bomba por tel (que tb vai virar post prox semana) e sai desvairada av paulista afora. andeeeei, andeeeei, ate parar na livraria cultura, ler uns 3 contos da Clarice Lispector e escutar nem q fosse os 30seg das 32 faixas do cd novo do Drexler. O sorriso torna-se imediato e andei o resto da av cantarolando todas as faixas, e nao duvido que tenha sido em ordem.
*confesso que se ele me chamasse ao camarim eu nao ia pestanejar. E ele nao me chamaria prum "Uh, Uh, Colinho". Lançaria uma conversa muito elabora. E eu ia cair feliiiiizzzz felizzzz

iso9002 disse...

Infelizmente por aqui não vejo muita gente famosa... mas das poucas vezes que cruzei com alguma celebridade, senti um profundo prazer em ignorar a presença e fazer de conta que não reconhecia. Hahahaha... adooooro!

iso9002 disse...

Infelizmente por aqui não vejo muita gente famosa... mas das poucas vezes que cruzei com alguma celebridade, senti um profundo prazer em ignorar a presença e fazer de conta que não reconhecia. Hahahaha... adooooro!

Luiz Mendes Junior disse...

Muito foda, essa história! Tipo, bem inocente, a mina, hein? Tá parecendo a tal miss negra "estuprada" pelo Tyson.

Tudo bem, eu entendo o ponto de vista dela (ou dele). Se eu tivesse um bando de adolescentes gatas jogando calcinhas para mim a cada show, também imaginaria algo além de simples admiração profissional. E na maioria dos casos, a coisa vai além mesmo.

Bom... Por essa o cara não esperava, he he.

Surfista disse...

MARIA, como você deve ter reparado nos demais comentários desse texto, esse comportamento foge ao controle.

NOIVO, tenho quase certeza que sua senhora é fã do Candinho. E você também.

CÍNTIA, pois é... "no colinho". Upa, upa!

DZINHA, por um acaso qualquer, a senhorita já cedeu aos encantos de alguma celebridade?

MARCIA, perdeu o juízo? Depois você me conta melhor...

DANI AMORIM, sacou como o ídolo sai do status de referência de talento e sucesso para a posição de símbolo sexual? Se o Drexler fosse um bancário, você daria uns peguinhas nele do mesmo jeito?

ISO9002, também faço o ar blasé, mas, na maioria dos casos, eu não reconheço mesmo.

MENDES, rapaz, eu conheço a guria e posso te dizer que foi na pureza da alma mesmo. Ela é gata e não se tocou que estava entrando na toca do lobo. Ah, e esses caras devem comer tanta gente que perdem a noção de dificuldade ou conquista. A cada estalo de dedos, aparece um pelotão inteiro de mocinhas solícitas.

Alfa disse...

Eu sei quem é o Candinho e tb não entendo o pq do sucesso. Por mim, ele poderia cantar lá na roça bem longe de mim rsrs....
Já a Adora não é sonsa nem boba, mas sabe que onde se ganha o pão não se come a carne ahahah.
bjs,
Alfa

Surfista disse...

ALFA, bico calado. Eu sei que Adora sabe bem onde pisa, mas deu mole nesse caso.

Alfa disse...

Alfa ficará quietinha, pq sempre proteje sua fonte ahahahah

Dani Amorim disse...

Rapaz, se o Drexler fosse um bancário e tivesse todo esse tchananam que ele tem... acho q num dispensava os pega nao! (até pq ne? a gente se agarra c cada salafrario por ai...).
Ain, lembrei desse post qdo uma amiga me ligou láaa da baixa da egua dizendo JUSTAMENTE que tinha realizado um MEGA sonho de consumo. Tipo o Drexler me dar um "vem cá minha nega" (no caso, minha branca! ahhaa). Inveja e orgulho dela!
Ah, surfista, eu ia te avisar de uma forma melhor e mais precisa minha passagem por ai, tanto q escrevi aqui na vespera. Mas foi td muito tumultuado, e foi relampago. Depois explico melhor...

ps.: algo contra os bancários? ahhahhahaha(brincadeira)

Jongleuse disse...

Quem é/foi seu ídolo?!