segunda-feira, 12 de maio de 2008

A ausência do centro-avante na hora do gol - Parte II

Aprendi desde cedo que a palavra de um homem vale ouro e deve ser sempre cumprida. No entanto, não será vergonha se ele passar por uma adversidade fora do seu controle e for obrigado a recuar e adiar suas obrigações. Essa atitude demonstra sensatez e coerência. Mas quem disse que eu fui sensato e coerente?

Ai, ai, ai...

Mesmo com um déficit na arcada dentária, eu confirmei presença em um compromisso com uma assessora-loirinha-gatinha-descolada. Nessa hora, me vieram as sábias palavras de Homer Simpson:

Quando você acha que tudo poderá dar errado, que tudo estará seguindo ladeira abaixo, é porque está mesmo.

Lembrei que meu amigo dentista estava de plantão e liguei imediatamente. A assistente atendeu.

- Oi, Dr. Saulo está atendendo. Quer deixar recado?

Fiquei mega constrangido de contar que o dente havia caído e tentei usar uma metáfora para atenuar.

- Por favor, avisa que o dente do Douglas subiu no telhado.

- Aviso, sim.

Dez longos minutos depois...

- Douglas, o que houve? Que papo é esse que você jogou o dente no telhado? – Saulo urrou desesperado ao telefone.

- Quem disse que eu joguei o dente no telhado? Que história é essa?

- A Neide, minha assistente.

- Não, não... eu disse que o dente subiu no telhado. Ele caiu, morreu, já era. Entendeu?

- E porque você não disse isso? Você acha que a Neide iria sacar o trocadilho, animal?

- Foi mal, fiquei envergonhado com meu estado banguela de ser. Bom, o caso é esse. O provisório despencou e tenho um enconto em uma hora. Socorro!

- Dá para adiar?

- Não.

- É gata?

- Muito gata.

- Então vou te ajudar. Olha, vai parecer estranho, mas você precisa confiar. Passa cola superbonder.

- Hein? Superbonder?

- Pois é, superbonder é biocompatível. Vai segurar o dente durante seu compromisso. Só não pode comer nada, nem ela.

Aimeudeus, aimeudeus...

- Deixa comigo. Obrigado.

- Boa sorte!

Lá estava eu diante do espelho com o dente na mão direita e um tubo de superbonder na mão esquerda. Pensei bem e cogitei desmarcar o encontro. Ela entenderia.

Jamais! Já dizia o hino: "verás que um filho teu não foge à luta".

E não fugi. Caprichei na produção e saí de casa com o dente cimentado à base de superbonder, um gosto amargo de cola na boca e um medo lascado de grudar bochecha, lábios, língua e o escambau.

Tudo vai dar certo. Tudo vai dar certo. Fale pouco. Sorria pouco. Faça o gênero caladão-charmoso.

Peguei a moça e fomos ao tal show. Bebi coca-cola de canudinho e me controlei para não falar muito ou rir aberto. Imagina se na hora da gargalhada a tecla do piano desafinasse e voasse? Eu morreria ali mesmo.

- Você está tão calado hoje? Tá tudo bem? – ela percebeu.

- Estou zen. Só isso. No mais, gosto de escutar você falando.

Mas que raio de idiotice foi essa que eu disse?

- Ah, que bom... então blablablablablabla...

Ela veio que nem uma metralhadora. Durante duas horas e meia eu ouvi de tudo. Fiquei com pena dos psiquiatras que ganham a vida ouvindo as pessoas tagarelarem o dia inteiro. De tempos em tempos, eu ia ao banheiro e reforçava o superbonder no dente.

Com os ouvidos doendo, fui deixar a assessora-loira-gatinha-descolada em casa. Paramos o carro e ela ficou me olhando com aquele sorrisão pidão.

- Então é isso – ela disse.

- Então é isso – eu disse.

Silêncio...

Ela estava esperando um beijo. Mas e o meu medo? Vai que na hora do beijo ela engolisse o meu dente – literalmente.

... "verás que um filho teu não foge à luta!"

Beijei a garota sem língua. Parecia o Tarcísio Meira beijando a Glória Menezes em alguma novela de 1977 ou 1978.

Não alonguei muito o meu desespero. Eu já havia me queimado o suficiente. A gente conversou mais um pouco. Ainda rolou um estalinho e tchau. Depois disso, não vi mais a assessora-loira-gatinha-descolada. Acho que ela não curtiu muito beijar que nem a Glória Menezes.

Epílogo...

1. Essa história aconteceu em idos de 2002, mas eu não lembrava desses detalhes todos. O que me resgatou o drama foi o orkut. Semanas atrás, recebi um convite de uma pessoa estranha. Quando fui checar, adivinha quem era: a assessora-loira-gatinha-descolada. Será que ainda dá para virar o jogo? O centro-avante está firme na posição e o time bem mais entrosado.

2. Dr. Saulo casou há poucos dias. Eu encontei Neide, a assistente, na festa. Quando me viu ela perguntou: "lembra do dente no telhado?". Claro, Neide. Como eu poderia esquecer?

3. Não sou o He-Man, mas dou a dica: quebrou o dente? Mete superbonder que resolve. Vai ficar grudando na bochecha, mas você se acostuma.


QUAL A MORAL DA HISTÓRIA,
HE-MAN?
Amiguinho desdentado, você precisa de ajuda médica – e não odontológica. Tudo isso por um rabo-de-saia? Vá se tratar logo ou daqui a pouco você estará no time do Michael Douglas, que ficou taradão depois de filmar "Instinto Selvagem". Convenhamos, que até o poderoso He-Man ficaria quicando depois de atuar naquelas cenas com a Sharon Stone. Enfim, sua coragem só não é maior que sua falta de noção, mas serei legal e botarei a culpa nos seus hormônios. Espero que você esteja mais calminho hoje em dia. Pelo sim, pelo não, lembre-se que um chazinho de camomila relaxa, seu demente. Amiguinho, em um almoço ou jantar social, só repita o prato quando perceber que todos já se serviram. Até a próxima!

16 comentários:

Cíntia disse...

Ih, menino. Coloca um terno de risca, um sorriso orgulhoso e vá à luta!
Garanto que vai dar goleada ;)

Bju!

Dudu disse...

Pois é, time sem ataque não ganha jogo. Era melhor pedir para os cartolas entrarem em campo e conseguir outra data.

Mas atire o primeiro tubo de superbonder quem nunca agiu na base do impulso em situação semelhante. Eu acho que no seu lugar teria feito o mesmo. Sorte que pode rolar um jogo de tira-teima

Mari Mayo disse...

Essa história, sem dúvidas é a melhor!!!!! Me escangalhei de rir aquii, só imaginando a situação... hahahahaha
Acontece cada coisa contigo hein menino! Nossaa!!! hahahaha =)

Anônimo disse...

hahahaha! Excelente meu bom!

Tinha esquecido dessa...

Vc é tão Rubro Negro que agora adota o visual Caio Junior? Deu sorte pra gente ontem!

Dr. Saulo manda lembranças, e exijo as fotos que vc bateu.

Abração,

O Noivo e irmão do Dr. Saulo.

Dam disse...

Aconteceu o mesmo comigo, mas eu estava do lado oposto. Um "amigo" desmarcou um encontro. Só que não era o primeiro e nem era a sós. Estávamos com vários amigos e amigas.

Alguns dias depois, um amigo da criatura nos contou que ele não foi pq o pivô tinha caído. Na época morri de rir e acho que não daria muita bola, mas lendo a tua história, imagino como ele deve ter se sentido.

Negâ disse...

Meninu du céu...rsrssr que historia.
To rindo muito! Que sabe agora sai um gol com a assessora-loira-gatinha-descolada. O centro-avante tá 100%...
:D
Beijoss

Dani Amorim disse...

aUHAUhauHAUhauHAUhauHUHAuhauAHuahUHAUh

Fiquei me rasgando de rir com varios trechos. Mas enfim, parabens pela coragem, mas as vezes eh melhor ser honesto. Imagine a cena: ela conversando com a amiga no outro dia:
-E aiiiiiii amiga??? Como foi c o bofinho ontem???
-Ai menina, foi legal. Ele tava meio calado, veio com uma conversa de zen q nao combina mto com ele mas pode ter acontecido algo. Mas... eu tava na mó expectativa, ai ele me vem com um beijinho tao chocoooo!!! Nã fia, deve ser ruim de um tudo!

haUAHUhauHAUh
Cuidadooo com a primeira impressao, essa eh uma máxima que deve ser respeitada!

Ps.: mto comico o conselho final do He-Man em casa post! hahaah

damaria disse...

A melhor história daqui... ainda mais esta parte: "Estou zen. Só isso. No mais, gosto de escutar você falando."
Tadinhoooooooooo!!! rssssssss

Essa valeu esperar!

Dzinha disse...

rindo muito!!! e rindo mais ainda do comentario da dani amorim. ela tem razao, surfista. as mulheres sao crueis nas avaliacoes dos bofinhos. numa proxima vez, eh sensato adiar.
(perdao por escrever sem os acentos, mas meu teclado surtou)

Surfista disse...

CINTIA, aceito seu conselho. Obrigado, mocinha.

DUDU, o campeonato é mata-mata. Quem sabe ainda rola esperança para o jogo da volta.

MARI, que bom te ver por aqui. Pois é, eu tenho é história para contar.

NOIVO, essa foi do baú, né? O dente nunca mais subiu no telhado, e pode deixar as que eu mandarei as fotos. Ah, precisamos parar com esses reencontros apenas em casamentos. Desse jeito, a próxima reunião será no casório do caçula. Pede habeas corpus para a patroa e bora rir de outras aventuras ainda não relatadas por aqui. Manda um abração para o Doutor recém-casado.

DAM, agora você compreende o drama do rapaz. Se perder o pivô já é fogo, imagina o centro-avante.

DANI, dizer esse tipo de coisa não me deixa tranquilo. Imagina o quanto a minha imagem foi tostada.

MARIA, obriagado! Depois da tragédia, o legal é encontrar o lado engraçado. Segue o jogo...

DZINHA, eu sou mais sensato hoje em dia.

Bibi disse...

O melhor perrengue que já vi alguém passar por um econtro! hahahaha GENIAL!

Beijo

carlamorim disse...

SURFISTA, morri muito de rir.
Tenho pra mim que, se ela te adicionou no orkut, a primeira impressão não foi tão ruim assim. Acho que ela percebeu que tinha algo errado naquela noite e está até hoje sem entender e gostaria de um tira-teima. (Sim, eu sou uma pessoa otimista kkkk). Hummm... algo me diz que essa história pode virar uma trilogia. Hehehe... com final glorioso, espero.

Em tempo... não sei se vc curte Friends (eu adoooro), mas essa história me lembrou aquele episódio em que o Ross faz um clareamento mal sucedido nos dentes... eles ficam incandescentes de tão brancos... e ele tinha um primeiro encontro... e... ah... se nunca viu, procure ver...kkkk é maravilhoso, vai se identificar!!!
Bjos.

Renata Victal disse...

Era melhor ter remarcado amigo... vc perdeu a chance de ter algo mais com a super-mega-linda-assessora

Mari disse...

Doug,
Dei umas boas risadas, mas tb fiquei tensa de vc não se aguentar, ou melhor, o dente rsrs...
bjks

Surfista disse...

BIBI, são certas coisas que fazemos e depois nos perguntamos: "onde eu estava com a cabeça?"

CARLA, gosto de "Friends", mas não vi esse episódio. Vou checar. Quem sabe não rola um epílog tardio, né? Quem sabe...

RENATA, sim, eu sei, mas quem disse que eu sou um sujeito sensato?

MARI, ficou tensa? Imagina eu.

Marianna disse...

Depois quero saber a continuação disso.
Carla, eu vi este capítulo do Friends. Pena que acabou, né?

bjs,
Mari