segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Eu, leitora

Há algum tempo, eu já confessei que sou um leitor fiel da Marie Claire. Só que meu interesse pela literatura de mulherzinha vai bem além da revista. Vez ou outra, me pego lendo um desses livros destinados ao público feminino. Geralmente, são esses livros de auto-ajuda, que, diga-se de passagem, só são auto-ajudas para as moças, porque para mim soam como humor involuntário.

Ultimamente, o que mais me chama a atenção é a multiplicação dos títulos voltados quase que exclusivamente ao interesse feminino. Antes eram poucas opções, mas de uns tempos pra cá, percebi uma enxurrada de novidades. Passeando por uma livraria, atividade que curto muito, exercitei a falta do que fazer folheando os livros com os títulos mais curiosos e criando minhas impressões sobre seus conteúdos. Claro que a partir do ponto de vista masculino da coisa. Entre best-sellers e worst-sellers (se é que isso existe), lançamentos e clássicos, pincei algumas obras e gostaria de compartilhar com vocês através de mini-resenhas (incluindo um merchandising dos autores e editora. Vai que alguém se interessa):

O Que As Mulheres Querem
Erica Jong (Record)
Quando olhei sse título, fiquei chocado com sua arrogância. Como pode esse dilema milenar ser resumido em duzentas-e-poucas páginas? Folhenando um pouco, descobri que se trata de uma comédia. Fui dominado pela frustração, mas também pelo alívio. Ufa, as mulheres continuam sem saber o que querem!

O que Toda Mulher Inteligente Deve Saber
Steven Carter e Julia Sokol (Sextante)
Esse eu li. A princípio, achei curioso um livro sobre os anseios da mulher moderna co-escrito por um homem. Deve ser para equilibrar e dar um pouco de sensatez na parada. Brincadeira, brincadeira. Curtinho e facinho de ler, a moral da história é que as meninas buscam meninos que as ouçam, que sejam gentis, que tenham ambições, que tenham raízes, que tenham pegada e, principalmente, que liguem quando assim prometerem. Pronto! Contei o final do livro e fiz você economizar R$ 19,90.

Por que os Homens Fazem Sexo e as Mulheres Fazem Amor?
Allan Pease (Sextante)
Mais uma obra da Sextante para as mulheres desesperadas e querendo se ajudar ou descobrir porque nós, homens insensíveis, prometemos ligar e não ligamos. No final das contas, não sei se pergunta do título é respondida. Particularmente, eu duvido. Ah, esse autor ainda escreveu Por que os Homens Mentem e as Mulheres Choram?. Quantos dilemas na vida desse rapaz. Deve ser solteiro ou estar no terceiro casamento.

Mulheres Ambiciosas Ganham Mais
Debra Condren (LSJ)
Adorei esse título. Imagino quantas moças com a estima na sarjeta devem ter desembolsado R$ 30,00 para canalizar sua ambição e aumentar suas contas bancárias. Sinceramente, é preciso de um livro para descobrir que tanto mulheres quanto homens que são ambiciosos buscam seus objetivos com mais tesão?

Mulheres Lideram Melhor que os Homens
Lois P. Frankel (Gente)
Lois Lane, quer dizer, Lois P. Frankel se tocou do potencial das mulheres de negócios e escreveu logo uma porrada de livros sobre business baseados na ótica feminina. Também assinou Mulheres Boazinhas Não Enriquecem e Mulheres Ousadas Chegam Mais Longe. Fiquei pensando no critério para a escritora criar seus títulos. Provavelmente, ela pega o substantivo "mulheres", um adjetivo de impacto ("duronas", "vibantes", "casca-grossas" etc) e um predicado marketeiro ("ficam milionárias", "vão além do horizonte", "mandam bem" etc) e, abracadabraca, surge um nome. Vamos lá, faça sua combinação e descubra qual será a próxima obra da Lois.

Mulheres Francesas Não Engordam
Mireille Guiliano (Campus)
Mentira! Brigitte Bardot é a prova. Depois de sua juventude gostosíssima e suas presepadas em Búzios, a atriz francesa tornou-se uma respeitável senhora rechonchuda. O mesmo vale para Catherine Deneuve. Aliás, isso não é vergonha nenhuma.

Mulheres Japonesas Não Envelhecem Nem Engordam
William Doyle e Naomi Moriyama (Rocco)
Será a segunda parte de uma trilogia? Na verdade, um livro com esse appeal só faria sentido se fosse Mulheres da Somália Não Engordam de Jeito Nenhum ou Paula Toller não Envelhece. Perdoem o humor negro, mas francesas e japonesas magérrimas são de lascar.

Por que a Mulher Gosta de Apanhar
Christina Autran (Nova Fronteira)
Quando bati o olho nesse tomo, pensei logo se tratar de uma manual sado-masô. Ledo engano. É bem mais interessante. Nada mais é do que a compilação de entrevistas da autora com personalidades da cena brasileira de 1967 a 1975, como Nelson Rodrigues, Fernanda Montenegro e Clarice Lispector, entre outros.

Uma Mulher Que Faz
Lucimara Parisi (Arx)
Peraí, a moça que aparece no Domingão do Faustão escreveu sua biografia? Longe de mim desconfiar da sua competência, mas será que os bastidores do programa dominical mais mala do mundo merecem essa pauta toda?

O Doce Veneno do Escorpião
Bruna Surfistinha (Panda Books)
Se me dissessem que o livro de memórias de uma garota de programa daria uma sacudida nos tabus de muita mulher bem resolvida, eu riria. Eis que Bruna surge para se tornar um fenômeno pop do século XXI e virar leitura escondida de muita gente. Eu li e me diverti horrores com as proezas da moçoila. Eu e mais uma cacetada de gente, pelo já que averigüei. Não por acaso, o livro virou audiobook, rendeu o blog mais famosos da Internet brasileira e já foi vendido para virar filme. Eu voto por uma cadeira na ABL para Raquel Pacheco, quer dizer, Brunete!





QUAL A MORAL DA HISTÓRIA,
HE-MAN?
Amiguinho, deixa a mulherada ler! Você deveria agradecer aos céus porque elas não estão lendo Sabrina, Bianca ou Julia. Você lembra dessas novelinhas vagabundas impressas em papel de jornal? Pois é, ainda estão nas prateleiras das bancas. Enfim, He-Man está econômico com as palavras hoje. Pare de se preocupar com o que as mulheres estão lendo ou deixam de ler e vai procurar um livro bacana para ocupar o seu precioso tempo. Amiguinho, nunca entre no mar ou na piscina sem verificar se há um salva-vidas por perto. Até a próxima!

9 comentários:

Allyne disse...

Me empresta o livro da Surfistinha?

Bibi disse...

Vc já reparou que os blogs sobre o assunto tb se multiplicam?

márcia disse...

Mas que coisa...Os livros, blogs e afins de mulheres tentando entender e se relacionar melhor com homens e vice-versa estão realmente se multiplicando...E eu pergunto: o que acontece com homens e mulheres que não se entendem?

Vulgo Dudu disse...

Caramba, eu adorava ler "Eu, leitora" da Marie Claire. Era muito bom! Melhor que Márcia, Oprah, Geraldo, Casos de Família... Tinham umas cartas realmente pesadas. Adorava!

Abs!

Surfista disse...

ALLYNE, não empresto. As lições desse livro valem mais que "The Secret - O Segredo".
BIBI, sou novato no universo blogueiro. Conheço poucos espaços dedicados a esse tipo de pesquisa. Espero que você não me inclua nessa onda.
MÁRCIA, mulheres e homens tentam se entender desde os tempos de Adão e Eva.
VULGO, "Eu, Leitora" ainda arrebenta.

Babs disse...

Não me espanto com tanta "literatura" "dirigida", tem abobrinha de tudo quanto é tipo...
Bjos

Rebecca Agra disse...

As mulheres não são complicadas...
O problema é que o He-man só conhece a Tylla...

=P

Surfista disse...

BABS, abobrinha sempre existiu e sempre existirá, mas nunca se viu tanta filosofia de boteco destinada ao público feminino.
REBECCA, mulheres são naturalmente complicadas e o He-Man entende do riscado.

Du - SecretSins disse...

hauhaua... coitadas!

destinar esse tipo de literatura a mulheres já eh uma ofensa à inteligência. Será q as autoras n pensam nisso?